11.10.17

1- TRF-2 CORRIGE INJUSTIÇA CONTRA HERÓI OTHON; 2- ENTIDADES DESMARCAM COMPROMISSOS COM BOLSONARO NOS EUA; 3- PELA PRIMEIRA VEZ, JUSTIÇA CONDENA AUTORES DAS FOTOS POR DIVULGAÇÃO DE CONTEÚDO ERÓTICO NA INTERNET

REDAÇÃO -


O Alte Othon desenvolveu um método próprio, brasileiríssimo, de beneficiar o urânio.
O TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2a Região) concedeu habeas corpus revogando a prisão preventiva do almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, ex-presidente da Eletronuclear.

Considerado um dos mais importantes cientistas nucleares brasileiros e um dos pais do programa nuclear do país, ele foi condenado a mais de 40 anos de prisão na Operação Lava Jato.

Acusado de corrupção, lavagem de dinheiro e de tentar embaraçar as investigações, ele estava detido há dois anos, numa instalação da Marinha no Rio de Janeiro.

O almirante está passando por um tratamento de câncer de pele.

Segundo o advogado Fernando Fernandes, "a soltura é um ato de justiça e humanidade". (via Folha)

***
ENTIDADES DESMARCAM COMPROMISSOS COM BOLSONARO NOS EUA

Não existe muito amor por Jair Bolsonaro em Nova York. Depois de uma recepção efusiva em Miami e outra mais morna em Boston, por onde o deputado, pré-candidato à Presidência pelo PSC, passou em sua turnê americana, sua chegada à maior cidade dos Estados Unidos teve encontros cancelados e protestos.

Na porta da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, onde Bolsonaro, falaria com investidores, uma dezena de brasileiros gritavam “um nazista está aqui” e seguravam cartazes com frases como “Bolsonaro, saia do armário, você pode ser feliz”.

Dois, no entanto, diziam apoiar o pré-candidato, um deles com um boné com o slogan de Donald Trump, “faça a América grande de novo”.

Mais cedo, Bolsonaro pretendia visitar o presídio de Rikers Island pela manhã, mas não foi porque “não daria para fazer o que estava marcado”, nas palavras dele. À tarde, um encontro com investidores na XP Investimentos também foi desmarcado.

Quando chegou à Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, quase em frente ao hotel Lotte New York Palace, onde o presidente Michel Temer jantou com Donald Trump, ídolo de Bolsonaro, há um mês, não havia ainda os “Bolsominions”, como são apelidados seus apoiadores, à sua espera.

Do lado de dentro, ele falaria a um grupo de empresários curiosos com sua candidatura. Mas também receosos. Enquanto boa parte dos eventos da Câmara de Comércio são abertos à imprensa, com ampla divulgação, a reunião com Bolsonaro foi mantida em segredo. (…)
(via Folha)


***
Pela primeira vez, justiça condena autores das fotos por divulgação de conteúdo erótico na internet

Da coluna de Monica Bergamo:

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) julgou na terça (10) o primeiro caso de “sexting”, que é a prática de divulgar conteúdos eróticos e sensuais pela internet, invadindo a privacidade de terceiros. A corte estabeleceu pagamento de indenização de R$ 121 mil.

Outros casos, responsabilizando provedores e sites de busca, já tinham sido analisados pela corte. A diferença, agora, é que os autores das imagens foram condenados.

A ação foi movida por uma estudante que foi a uma festa à fantasia promovida pelo diretório acadêmico da FGV de SP, há alguns anos. Ela foi fotografada em situação íntima com o namorado num quarto denominado “cantinho do amor”.

As imagens foram postadas nas redes, provocando, segundo a vítima, grande sofrimento por causa da repercussão. Os estudantes que fizeram as fotos vão ter agora que arcar com a indenização.