2.10.17

1- ANTHONY GAROTINHO DIZ QUE PENDRIVES EM PODER DA PF CONTÊM DENÚNCIAS CONTRA AUTORIDADES; 2- DIDÁTICO: A DEMOCRACIA NÃO CAIU DO CÉU [VÍDEO]

REDAÇÃO -

Garotinho deu entrevista à Folha. Os principais pontos:


1- No dia em que foi preso, Garotinho teve apreendido ilegalmente pendrives que continham denúncias e documentos (antigos e inéditos) contra autoridades, tais como o ex-presidente do TJ Luiz Zveiter; o ex-secretário da Casa Civil Regis Fichtner; empresários e políticos ligados ao ex-governador Sérgio Cabral; etc.. Veja os trechos na Folha de SP:

De acordo com Garotinho, os dispositivos eletrônicos continham diversas gravações e documentos com denúncias a autoridades, como o ex-governador do Rio Sérgio Cabral e o ex-prefeito Eduardo Paes, entre outros.

Garotinho afirma que a apreensão do material foi ilegal. “Os pendrives foram arrecadados pelo policial federal responsável pela escolta sem qualquer formalidade, não sendo fornecido qualquer recibo ou lavrado auto de apreensão”, diz o documento protocolado pelo advogado do ex-governador.

2- Conteúdo dos pendrives. Veja os trechos na Folha:

No pedido, há uma lista com 13 pontos, que descrevem, sem muitos detalhes, parte das informações (documentos, fotos e gravações) que estariam nos pendrives.

Entre os pontos, dois citam Cabral, desafeto de Garotinho. “Notícia crime apresentada à Procuradoria Geral da República contra o ex-governador Sérgio Cabral; presidente da Alerj Jorge Picciani; o ex-prefeito Eduardo Paes; o desembargador Luiz Zveiter e outras autoridades”, segundo o documento.

Em outro tópico, o advogado menciona uma suposta gravação, contendo ameaças de Cabral a Garotinho, realizada dentro do presídio de Benfica.

O pedido também faz menção aos empresários Arthur César de Menezes Soares, o “Rei Arthur”, e José Hawilla.

3- O que a defesa de Garotinho está fazendo em relação a essa ilegalidade. Veja os trechos:

O ex-governador do Rio Anthony Garotinho (PR) protocolou um requerimento na Polícia Federal de Campos dos Goytacazes (RJ) para reaver oito pendrives que, segundo ele, foram apreendidos na última vez em que foi preso, no dia 13 de setembro.

O documento também foi entregue ao Ministério Público Federal em Campos. Protocolamos no MPF de Campos a petição, com um pedido para que eles acompanhem o processo, para saber o que está acontecendo”, afirmou Garotinho, em entrevista à Folha.

4-Reclamação em relação à atitude da PF. Veja os trechos:

Garotinho também reclamou de outras atitudes da Polícia Federal ao realizar a prisão.

“Estava tudo estranho, não estavam em um carro caracterizado [da PF], não quiseram esperar o meu advogado, não quiseram que o advogado me acompanhasse [no carro da polícia] depois no primeiro encontro, não se identificaram, não queriam dar nome”, afirmou.

O ex-governador também disse estranhar que a polícia não tenha levado o seu telefone celular, ainda que, segundo ele, a apreensão do aparelho estivesse prevista no mandado. Garotinho reclamou também que a polícia não respeitou o seu pedido de esperar o final do seu programa de rádio. Ele foi interrompido e preso durante a apresentação, na rádio Tupi. (via DCM)

***
A democracia não caiu do céu

Vídeo didático, confira: