15.10.17

1- JUIZ FEDERAL É ENCONTRADO MORTO EM SEU APARTAMENTO NO MARANHÃO; 2- OS DOCUMENTOS DO EXÉRCITO PEDINDO A EXPULSÃO DE BOLSONARO DA ESCOLA DE OFICIAIS APÓS PLANO TERRORISTA

REDAÇÃO -


Um juiz federal foi encontrado morto, dentro do seu apartamento, na noite de quinta-feira, na cidade de Bacabal, que fica a cerca de 240 quilômetros de São Luís, capital do Maranhão. De acordo com a Secretaria de Segurança, uma avaliação preliminar indicou um infarto como possível causa de morte.

Não foram encontrados indícios de crimes no local.

Ricardo Nohra Simões, de 54 anos, era natural do Rio de Janeiro e foi transferido para Macabal em janeiro, após ser aprovado em um concurso de juiz federal substituto do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1). Ele era casado e tinha uma filha. Seu corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Timon, e depois será enviado para o Rio. (via Globo)

***
Os documentos do Exército pedindo a expulsão de Bolsonaro da Escola de Oficiais após plano terrorista

Via DCM:

Dos 11 inquéritos, ações penais, mandados de injunção e petições sobre o deputado federal Jair Bolsonaro que estão ou já passaram pelo Supremo Tribunal Federal (STF), nenhum foi mais explosivo e preocupante para suas pretensões políticas do que o julgamento no dia 16 de junho de 1988 no Superior Tribunal Militar (STM).

Bolsonaro era acusado de transgressão grave ao Regulamento Disciplinar do Exército (RDE). Ele dera entrevista e publicou artigo na revista Veja, em 1986, com comentários nada amigáveis ao governo federal.

Também planejou ações terroristas. Iria explodir bombas em quartéis do Exército e outros locais do Rio de Janeiro, como na principal adutora de água da capital fluminense, para demonstrar insatisfação sobre índice de reajuste salarial do Exército.

Diz o relatório secreto do Centro de Inteligência do Exército (CIE), nº 394, de 1990, com 96 páginas, ao qual o DCM teve acesso, e que é publicado pela primeira vez, confira AQUI.