24.10.17

1- PMS ENVOLVIDOS EM MORTE DE TURISTA NO RIO SÃO PRESOS; 2- TRANSEXUAL USADO POR FELICIANO COMO SÍMBOLO DA “CURA GAY” CONTA QUE GANHAVA CACHÊ EM CULTOS EVANGÉLICOS [VÍDEO]

REDAÇÃO -


A Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMRJ) informou, em nota sobre a morte da turista espanhola Maria Esperanza Ruiz Jimenez, de 67 anos, na Favela da Rocinha, que a corregedoria da corporação determinou a prisão em flagrante dos dois policiais diretamente envolvidos no fato – um oficial (tenente) e um soldado. Os dois policiais foram encaminhados para Unidade Prisional da PM, em Niterói, região metropolitana do Rio.

"Após análise do fato, caberá ao Ministério Público Militar do Estado Rio de Janeiro decidir os rumos da investigação", diz a nota divulgada pela PM.

A nota diz, ainda, que a Polícia Militar, assim como das demais forças de segurança do país, segue os procedimentos estabelecidos no Manual de Abordagem. O manual diz que, em casos como o que ocorreu nesta segunda-feira, os policiais não devem fazer disparos e sim perseguir o veículo que não obedeceu à ordem de parar e bloquear sua passagem assim que for possível. A razão pela qual esse procedimento não foi cumprido é também objeto da investigação em curso.

Os dois militares estão sendo ouvidos na 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar da PM, e, em seguida, serão encaminhados para a Divisão de Homicídios onde serão ouvidos pelo delegado Fábio Cardoso, encarregado do inquérito. (por Douglas Corrêa - via Repórter da Agência Brasil)

***
Transexual usado por Feliciano como símbolo da “cura gay” conta que ganhava cachê em cultos evangélicos

Via DCM:

Talita Oliveira, transexual de 34 anos de idade, virou atração das igrejas evangélicas como símbolo da “cura gay”.

Ela tirou o silicone dos seios, cortou o cabelo e passou a usar roupas masculinas, pregando o poder transformador de Deus.

Largou um relacionamento com um homem para viver um ano orando e jejuando. Chegou a namorar uma garota evangélica, até assumir novamente a homossexualidade.

Ela afirma que vivia do que ganhava com seu testemunho nos cultos. Variava entre 500 e 1700 reais por visita. Esteve em diversos programas de televisão e eventos, vários deles com o pastor e deputado federal Marco Feliciano.

“Cansei de ser usado por pessoas como ele”, diz. Talita fez um vídeo contando os bastidores da campanha da “cura gay”: