10.10.17

CAMPANHA ESTADUAL DE CONSCIENTIZAÇÃO CONTRA OS MALES DO BENZENO É LANÇADA HOJE EM SÃO PAULO

Via FENEPOSPETRO -

Federação dos Frentistas do Estado de São Paulo e órgãos públicos se unem para orientar os trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência sobre os riscos de contaminação por benzeno no ambiente laboral. A campanha “Benzeno não é flor que se cheire” será lançada hoje pelo presidente da entidade Luiz Arraes.


Reduzir os riscos de contaminação por benzeno e orientar os trabalhadores sobre medidas de proteção de segurança e saúde no ambiente do posto de combustíveis. Esses são os principais objetivos da Campanha “Benzeno não é flor que se cheire” que será lançada nesta terça-feira (10) no estado de São Paulo. O presidente da Federação Nacional dos Frentistas (FENEPOSPETRO), Eusébio Pinto Neto, participará do evento. A campanha que vai abranger os 645 municípios do estado será lançada na cidade de Campinas. O projeto da Federação dos Frentistas do Estado de São Paulo (FEPOSPETRO) conta com a parceria do Ministério Público do Trabalho (MPT), da Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho (Fundacentro) e da Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador (RENAST). A campanha que será realizada pelos 16 Sindicatos dos Frentistas em São Paulo visa esclarecer os cerca de 100 mil trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência no estado.

O presidente da FEPOSPETRO, Luiz Arraes, disse que apesar do mês de outubro marcar a Luta Nacional Contra Exposição ao Benzeno, a campanha no estado de São Paulo vai se estender por 15 meses. Para marcar o lançamento da campanha a federação vai realizar um seminário, hoje, no Sindicato dos Frentistas de Campinas. Segundo Luiz Arraes, as palestras ministradas por pesquisadores da Fundacentro servirão para formar os dirigentes sindicais que vão repassar aos trabalhadores as orientações sobre as medidas preventivas e os cuidados que devem ser adotados para reduzir o risco de contaminação por benzeno.

Arraes acrescenta que durante a divulgação nos postos serão distribuídos adesivos e uma cartilha explicativa sobre os malefícios do benzeno para a saúde do trabalhador. Também serão instalados outdoors nas principais rodovias do estado de São Paulo.

UNIFORME - Luiz Arraes afirma que a federação já está cobrando das empresas a implantação do item 11.3 do Anexo II da NR9, que determina que a higienização dos uniformes dos funcionários seja feita pelo empregador, com frequência mínima semanal. Ele diz que ainda há muita resistência do setor patronal, mas a entidade vai lutar para fazer valer a norma regulamentadora a partir da próxima negociação salarial. “O trabalhador deixa o uniforme na empresa e não leva contaminação para casa, essa é a finalidade da norma”.

REFORMA TRABALHISTA - O presidente da FEPOSPETRO acredita que mesmo com a retirada de direitos a reforma trabalhista não vai anular as normas regulamentadoras de segurança e saúde:

A finalidade da lei é retirar direitos em todas as áreas, mas a princípio dá uma preservada na saúde do trabalhador.

Para Luiz Arraes os trabalhadores têm que ficar atentos porque o pano de fundo da reforma é enfraquecer os sindicatos para ficar mais fácil mexer nos direitos dos trabalhadores.

* Estefania de Castro, assessoria de imprensa Fenepospetro