18.10.17

SINPOSPETRO-RJ LANÇA NA PRÓXIMA SEMANA CAMPANHA CONTRA EXPOSIÇÃO AO BENZENO

Via SINPOSPETRO-RJ -

Não há limite seguro para a exposição ocupacional ao benzeno, mesmo quando a avaliação no posto de combustíveis não apresenta concentração acima do nível aceitável pelos pesquisadores. Para orientar os frentistas sobre os riscos do produto altamente tóxico e cancerígeno para a saúde, o SINPOSPETRO-RJ lança na próxima quarta-feira (25) uma campanha nos postos de combustíveis.


Conscientizar a categoria e orientar os trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência sobre como evitar acidentes ao abastecer com gasolina. Essas são ações que serão desenvolvidas pelo SINPOSPETRO-RJ para marcar o Dia Nacional de Luta Contra a Exposição ao Benzeno, celebrado no dia cinco deste mês. A campanha realizada em todo o país no mês de outubro visa preservar à saúde dos trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência e melhorar a qualidade do ambiente laboral.

Durante os dias 25 (quarta-feira) e 26 (quinta-feira) o sindicato vai visitar os postos e conversar com os trabalhadores sobre as medidas que devem ser adotadas no ambiente laboral para se prevenir contra doenças provocadas pelo benzeno. As ações serão focadas na questão do abastecimento consciente. O sindicato vai chamar a atenção do frentista para o risco de abastecer os veículos, após ser acionada a trava de segurança da bomba de combustível. O trabalhador sem treinamento para lidar com produtos como a gasolina, que contém benzeno, sofre mais riscos de contaminação tóxica. Estudos comprovam o aumento da exposição ao benzeno quando o tanque de combustível é cheio “até a boca”. O sindicato também vai alertar o trabalhador sobre a importância do uso do Equipamento de Proteção Individual (EPI), que reduz os riscos de contaminação por agentes químicos, em caso de acidentes.

CONTAMINAÇÃO BENZENO

Em 2011, o frentista Gilberto Filiu morreu, em Dourados, Mato Grosso do Sul, vítima da exposição ao benzeno. O atestado de óbito comprova que o frentista apresentou exposição ocupacional ao benzeno durante 29 anos e morreu devido à insuficiência hepática, agravada pela intoxicação crônica ao benzeno (benzenismo).

LUTA

Desde o ano de 2009, a diretoria do SINPOSPETRO-RJ luta para melhorar as condições de saúde e segurança nos postos de combustíveis. Para orientar o frentista sobre o alto risco de contaminação por exposição ao benzeno, contido na gasolina, o SINPOSPETRO-RJ desenvolve várias ações de conscientização nos postos de combustíveis.

Em 2010, o sindicato firmou uma parceria com a FIOCRUZ para a realização da pesquisa “Avaliação da exposição ocupacional ao benzeno em postos de combustíveis no Município do Rio de Janeiro: uma abordagem integrada para as ações de vigilância em saúde”. Durante seis anos, a fundação avaliou as condições de saúde de 175 trabalhadores de postos de combustíveis do município do Rio de Janeiro. O número de trabalhadores envolvidos no projeto representa menos de 1,5% do universo de empregados na categoria.

A vice-presidente da entidade, Aparecida Evaristo, que integra a Subcomissão de Postos Revendedores de Combustíveis ajudou a formular o anexo II da Norma Regulamentadora 9, que trata sobre a exposição ocupacional ao benzeno em postos revendedores de combustíveis.

* Estefania de Castro, assessoria SINPOSPETRO-RJ