27.11.17

FORO PRIVILEGIADO, ETERNO E INVENCÍVEL

HELIO FERNANDES -

Em 1963, fui o primeiro e único jornalista a ser julgado no STF, de corpo presente, baseado num critério inteiramente desigual. Contrariava a Constituição, que garantia: "Todos são iguais perante a lei". Diziam: "Esse deve ser o ultimo julgamento no STF, favorecendo a desigualdade".

Já existia antes, continua em pleno vigor, (e mais, multiplicando os beneficiários) 54 anos depois do meu julgamento. E com pleno conhecimento do STF, "guardião da Constituição". Que ás vezes, constrangido e envergonhado, tenta corajosamente (?) reverter a situação, implantar definitivamente o regime rigorosamente constitucional. Mas se embaraça e se  deprime, na própria falta de convicção, e consequentemente de ação.

Leia mais na COLUNA