22.11.17

O BOM FILHO À CASA TORNA; IMPUNIDADE! ASSASSINATO NAS DEPENDÊNCIAS DA GLOBO

MIRSON MURAD -


Os deputados assaltantes dos cofres públicos Picciani, Paulo Melo e Albernassi foram reconduzidos, novamente, ao xilindró, de onde nunca deveriam ter saído. Sua chegada ao presídio de Benfica foi marcada por muita emoção.

Sérgio Cabral, o mafioso chefe, ao vê-los, com os olhos cheio de lágrimas cantou: - "Você chegou na minha vida lentamente, você foi paz você foi gente, Fiquei feliz, fiquei contente..."

Os três, por sua vez cantarolavam felizes, também com os olhos lacrimejantes: - "Voltei! Pois aqui é meu lugar"... A um interlocutor mais próximo Serjão confidenciava que, para sua alegria ser completa, só estava faltando sua querida companheira. Ele está sentindo muito sua ausência.

Afinal, o lugar da esposa é ao lado do marido. É ou não é?

IMPUNIDADE! ASSASSINATO NAS DEPENDÊNCIAS DA GLOBO

Finalmente, Willian Bonner trocou de roupa. Ontem, ele apresentou o Jornal Nacional com elegante terno preto. Renata também estava de preto (ambos com preto fechado. Pareciam estar de luto. E, eu creio, estavam). O idioma pátrio fora brutalmente enxovalhado nas dependências da Rede Globo. Por ordens superiores, o vernáculo foi massacrado pelos comunicadores globais. Todos cordeirinhos obedientes: Bonner, Renata, Chico, Sandra, Míriam, atores e atrizes.

Primeiro mataram a palavra recorde e impuseram record. Depois veio a morte de subsídio e substituíram por suzídio. Extra por éxtra. E muitas outras mais. Tudo isso vem acontecendo com absoluta impunidade.

Os ministérios da Cultura, da Educação e a Academia Brasileira de Letras não se manifestaram para condenar tal prática que tem como meta primordial emburrecer o povão. Há ainda a destruição dos bons costumes e da etiqueta onde, em cena, os artistas falam com a boca cheia, esgrimindo com os talheres, o desrespeito a língua portuguesa é colossal.