25.11.17

REGRAS TRABALHISTAS TRAVAM NOVAS AÇÕES

ROBERTO M. PINHO -

(...) “Numa atividade de uso de mão de obra intensiva não causa admiração que 89,5% das despesas (R$ 61 bilhões) sejam consumidos com pessoal. Desse total, 20,8% foi para a folha de pagamento de servidores da Justiça do Trabalho. Vale lembrar que o grande litigante do país é o poder público”.


Como já havia previsto aqui em edições anteriores, após a promulgação da reforma trabalhista, com a entrada em vigor a partir de 11 de novembro, a queda do número de ações que ingressavam diariamente na justiça trabalhista seria acentuada. O que mais surpreendeu foi uma queda de 90% em relação à última média de setembro/outubro.

Leia mais na COLUNA