19.12.17

1- RJ: TRABALHADORES DO CARREFOUR EM ESTADO DE GREVE ÀS VÉSPERAS DO NATAL; 2- O VÍDEO DA AGRESSÃO A GLEISI HOFFMANN NO AVIÃO POR FANÁTICA DE DIREITA

REDAÇÃO -

Na assembleia dos funcionários cariocas do Carrefour, realizada ontem (18), no Sindicato dos Comerciários do Rio, foi discutida e aprovada a pauta de reivindicações que será apresentada à rede multinacional de hipermercados e a instalação do Estado de Greve. Com isso, a paralisação poderá ser deflagrada a qualquer momento caso o Carrefour não atenda às demandas ou continue com as ameaças e retaliações aos funcionários que participam do movimento.


Os trabalhadores do Carrefour exigem, dentre outras reivindicações:

Adicional de 100% sobre as horas trabalhadas nos feriados;
Adicional de 100% sobre as horas trabalhadas aos domingos;
Reintegração dos demitidos em função da participação no movimento;
Ajuste nos contratos e carteiras de trabalho para correto enquadramento das funções conforme o Código Brasileiro de Ocupações (CBO);
Garantia de 15 minutos de intervalo para lanche, de forma a garantir que os trabalhadores não fiquem por mais de 6 horas sem alimentação;
Garantia das folgas adicionais pelo trabalho nos feriados;
Fim do desvio de função;
Fim do assédio moral;
Melhoria da alimentação fornecida nas lojas;
Recomposição da Participação nos Lucros e Resultados (PLR);
Recomposição dos percentuais das comissões dos vendedores.

A pauta será agora apresentada à empresa pela direção do Sindicato em mediação da Superintendência Regional do Ministério do Trabalho e Emprego (SRTE), já marcada para a próxima quinta-feira (21/12). Dois trabalhadores foram eleitos pelos colegas durante a Assembleia para acompanhar as negociações. 

“Somos vitoriosos porque já conseguimos nos unir para dar um passo adiante. Temos um Sindicato disposto a lutar por nós. Vamos continuar firmes e acumular forças. Agora estamos em estado de greve. As paralisações poderão ocorrer a qualquer momento, mesmo agora antes do Natal, caso a empresa continue nos ameaçando”, comentou o açougueiro RML, da filial Sulacap.

Após a vitória do movimento grevista no Mundial, o Sindicato foi procurado por uma comissão de trabalhadores do Carrefour, que relatou a insatisfação e disposição de luta dos funcionários da rede. Além do fim do adicional de 100% nos feriados, a comissão relatou uma série de outros problemas. Neste sentido, ficou decidida a convocação da Assembleia para debater e aprovar a pauta de reivindicações.

Em resposta, a empresa primeiro anunciou que pagaria o adicional aos funcionários referente aos últimos feriados trabalhados. Como não se comprometeu, no entanto, em pagar o mesmo nos próximos feriados, a mobilização dos funcionários se intensificou. O Carrefour então apelou para a estratégia do medo, promoveu demissões alegando “corte de despesas” e distribuiu ameaças por meio dos seus gerentes. Contudo, os trabalhadores não se intimidaram e prometem levar o movimento às últimas consequências. “Lá na França eles estão gozando os milhões que nós levantamos aqui. Quem tem pena do patrão pra sempre vai lamber o chão. Estamos de pé, firmes e dispostos a levar essa luta até o fim”, comentou a vendedora JVC, da filial Norte Shopping. (via assessoria de imprensa do SECRJ e portal Vermelho)

***
O VÍDEO da agressão a Gleisi Hoffmann no avião por fanática de direita