17.1.18

1- ARTISTAS E INTELECTUAIS LOTAM TEATRO EM DEFESA DE LULA E DA DEMOCRACIA; 2- NOVA ‘CARTA’ DE LULA SERÁ DIRIGIDA AO POVO, NÃO AO MERCADO, DIZ GLEISI

REDAÇÃO -


Centenas de juristas notáveis, artistas, intelectuais e parlamentares marcam presença na noite desta terça-feira 16 no ato em defesa da democracia e da candidatura do ex-presidente Lula nas eleições de 2018, que acontece no Teatro Oi Casa Grande, no Rio de Janeiro.

Participam do ato os atores Bemvindo Sequeira, Tonico Pereira, Silvio Tendler, Dira Paes, Mônica Martelli e Gregório Duvivier.

Entre parlamentares, ex-ministros, intelectuais e juristas estão Márcia Tiburi, Roberto Saturnino Braga, Guilherme Boulos, Benedita da Silva (PT-RJ), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Celso Amorim, Emir Sader e Luiz Pinguelli Rosa.

Em discursos acalorados, eles defendem a inocência de Lula no caso do triplex do Guarujá, a perseguição do Judiciário e da mídia contra o ex-presidente e o direito de ele participar da disputa ao Planalto.

Um ato similar acontecerá em São Paulo no Tuca (Teatro da Universidade Católica de São Paulo), no bairro de Perdizes, zona oeste da cidade, na próxima quinta-feira 18. (via Rio247)

***
Nova ‘Carta’ de Lula será dirigida ao povo, não ao mercado, diz Gleisi

Do Valor:

Presidente do PT, a senadora Gleisi Hoffmann (PT) afirmou ao Valor que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai apresentar uma nova “Carta ao Povo Brasileiro”, que já está sendo preparada com sua equipe de campanha. O texto, no entanto, não buscará acalmar temores do mercado em relação a um novo governo do petista, mas dialogar com a população.

“Vamos deixar claro: Não é uma carta dirigida ao mercado, como em 2002. É dirigida ao país, ao povo. Vamos falar de como faremos para que o Brasil se desenvolva e retome seu crescimento”, reiterou Gleisi. “Não precisamos dirigir nada ao mercado. O mercado já conhece o presidente Lula e como ele governa”, garantiu.

Para Gleisi, “não faz sentido o mercado ter qualquer temor ao Lula. O que ele causou de instabilidade econômica quando governou?”, questiona. “O mercado já sabe que Lula tem responsabilidade política, fiscal e social”, diz.

Os pilares da proposta de Lula, atesta a presidente da legenda, se basearão na criação de emprego e renda e um impulso na disponibilidade de crédito e no aumento do consumo interno. “A economia não pode ser pensada só sob o olhar do mercado. Tem que incluir o povo. Emprego é um indicador importante da saúde da economia. Aumento de renda também. Aumento de crédito é muito importante, bem como aumento do consumo interno”.

Gleisi foi categórica em afirmar que Lula convocará, se eleito novamente ao Palácio do Planalto, um plebiscito para revogar todas as reformas aprovadas sob a gestão de Michel Temer. Em especial, o teto de gastos da União estabelecido por emenda constitucional e a reforma na legislação trabalhista.

“Todas as medidas que retiraram direitos serão derrubadas, se a população concordar. O presidente Lula se manifesta no sentido de chamar um plebiscito para revogar todas as medidas do governo Temer, como a PEC do teto de gastos e a reforma trabalhista”.
(…)