19.1.18

1- MP-RJ PEDE TRANSFERÊNCIA DE CABRAL PARA CURITIBA; 2- NO RIO, NÚMERO DE MORTES VIOLENTAS CRESCEU 7,5% EM 2017

REDAÇÃO -


O Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro pediu a transferência do ex-governador Sérgio Cabral (MDB), atualmente preso em um penitenciária em Benfica, no Rio, para um presídio em Curitiba (PR). O pedido do MP foi motivado pelas regalias a que Cabral teria tido acesso na instituição prisional de Benfica e, também, em Bangu, onde esteve preso anteriormente.

O MP também solicitou o afastamento do secretário de Administração Penitenciária (Seap), coronel Erir Ribeiro, e de outros cinco servidores da pasta.

Segundo o MP, Cabral teria se beneficiado de uma "rede de serviços e favores" montada para servi-lo dentro das instalações prisionais. Em Benfica, foram encontrados itens como bacalhau, camarão e queijo de cabra.

Uma das embalagens tinha o nome de Cabral na tampa. Uma determinação da Seap proíbe a entrada de produtos in natura nas cadeias do Estado. Também foram encontrados remédios sem receita, além de visitas e entregas irregulares. (Rio247)

***
No Rio, número de mortes violentas cresceu 7,5% em 2017

O Instituto de Segurança Pública (ISP) divulgou ontem (18) que os casos de letalidade violenta (soma de homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e homicídio decorrente de oposição à intervenção policial, no Rio de Janeiro, tiveram aumento de 7,5%, em 2017, em relação a 2016, passando de 6.262 para 6.731.

Em dezembro do ano passado, foram registradas 66 vítimas a menos de mortes violentas no estado, uma queda de 10,9% em relação ao mesmo mês de 2016. Segundo o ISP, as maiores reduções ocorreram em Irajá, Vicente de Carvalho, Vila Kosmos, Colégio, Vila da Penha, Vista Alegre, Anchieta, Guadalupe, Parque Anchieta, Ricardo de Albuquerque, Acari, Barros Filho, Costa Barros, Parque Colúmbia, Pavuna, Campo dos Afonsos, Deodoro, Jardim Sulacap, Magalhães Bastos, Realengo, Vila Militar, Bangu, Gericinó, Padre Miguel e Senador Camará.

Roubos e apreensão de fuzis - Outro crime que também cresceu no estado do Rio em 2017 foi o roubo de veículo, com alta de 30,4%. No ano passado, foram roubados 54.367 ante 41.696 no ano anterior. O roubo de carga teve aumento de 7,3%, passando de 9.874 casos em 2016 para 10.599 em 2017.

Os roubos de rua (soma de roubo a transeunte, roubo de aparelho celular e roubo em coletivo) tiveram queda de 1,1% no ano passado. Foram 127.098 casos em 2016 e 125.698 no ano passado.

O levantamento também verificou que em 2017 foram apreendidos 499 fuzis no estado, o maior número registrado em toda a série histórica do Instituto de Segurança Pública, que teve início em 2007. Foram 130 fuzis a mais em relação ao ano de 2016. (via Agência Brasil)