30.1.18

1- PREÇO DA GASOLINA NAS BOMBAS VOLTA A SUBIR NA SEMANA, SEGUNDO ANP; 2- CAIXA DEVE REABRIR PROGRAMA DE DEMISSÃO VOLUNTÁRIA

REDAÇÃO -


preço médio da gasolina para o consumidor final subiu pela 13ª semana seguida, segundo dados divulgados nesta segunda-feira (29) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O valor médio por litro passou de R$ 4,183 para R$ 4,198, uma elevação de 0,35%. Na mesma semana, a Petrobras baixou o preço do combustível nas refinarias em 0,52%, seguindo sua política de preços de reajustes quase diários com o objetivo de acompanhar as cotações internacionais. O repasse ou não para o consumidor final depende dos postos.

Essa política foi adotada pela Petrobras em julho de 2017, mesmo mês em que o governo elevou os impostos sobre os combustíveis. Desde então, o preço médio da gasolina para o consumidor final calculado pela ANP já acumula alta de 19,6%.

O diesel também terminou a semana em alta, subindo de R$ 3,368 para R$ 3,381, ainda segundo a ANP. O valor representa aumento de 0,38% na semana. Na mesma semana, a Petrobras aumentou o preço nas refinarias em 0,26%.

Os dados consideram a variação de preços entre a semana terminada em 20 de janeiro e a que se encerrou no dia 27. São coletados pela ANO os preços em 459 localidades.

Etanol bate R$ 3

O preço médio do etanol também subiu na semana, batendo o patamar de R$ 3, segundo a ANP. O valor médio por litro subiu 1,31%, de R$ 2,963 para R$ 3,002 na semana passada. No ano, o preço do etanol acumula alta de 3,09%.

O preço do gás de cozinha também voltou a subir, passando de R$ 67,28 para R$ 67,47. Com isso, o valor do botijão terminou a semana em alta de 0,28%. (via G1)

***
Caixa deve reabrir programa de demissão voluntária

Banco analisa, também, outras medidas para tentar melhorar resultados financeiros. Com o objetivo de cortar custos para obter melhores resultados financeiros, a Caixa estuda implementar uma série de ações.

Nos próximos dias, a estatal deve reabrir o Programa de Demissão Voluntária (PDV), responsável em 2017 pela economia de R$ 500 milhões após duas edições que desligaram 7,3 mil funcionários.

Segundo o jornal O Globo, a estatal também estuda fechar agências, postos de atendimento e unificar áreas administrativas. (via TIS)