24.1.18

DILMA ROUSSEFF DESMASCARA GOLPISTAS E LULA FALA DO COMPLEXO DE VIRA LATA EM PORTO ALEGRE [VÍDEOS]

ANDRÉ MOREAU -


“Dilma guerreira do povo brasileiro”, foi com esse chamamento em alto e bom som que o povo recebeu a Presidenta Dilma Rousseff, para discursar no encontro de mulheres em um carro de som, na rua, já que o fornecimento de energia elétrica da Assembléia Legislativa de Porto Alegre, onde seria realizado o ato, foi cortado.

A conspiração não foi suficiente para calar a “presidenta valente” derrubada por um impeachment, sem mérito, ou seja, pelo golpe de estado. Pelo contrário, depois de cumprimentar o povo e as autoridades presentes, Dilma falou que o golpe visa enquadrar a democracia brasileira em três esferas: econômica; social e geopolítica. 

Em sua fala, Dilma tratou da privatização do ensino; do desmonte da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT); da privatização da Previdência Social, medidas que confirmam a implantação da doutrina de choque de Milton Friedman que orientou a ditadura de Augusto Pinochet (1973 e 1990), de onde é oriundo o sistema neoliberal o mesmo implantado na Inglaterra pela anti/política/social, da “Dama de Ferro” Margareth Thatche (1979-1990) que em suas ações de austeridade voltadas ao bem da economia e dos especuladores, cortou o leite das crianças pobres de primeira infância.


“(...) O objetivo é privatizar a previdência como fizeram no Chile (...)” frisou a mandatária mantendo o paralelo entre o desmonte em curso no Brasil e o que foi feito no Chile, Inglaterra e EUA. As semelhanças destacadas a partir do desmonte da CLT e da Emenda Constitucional do Teto dos Gastos que ameaça universidades públicas, com farmácias populares fechando e promove a contratação de professores precários em detrimento de profissionais qualificados e remunerados dignamente.

Diante da mobilização de massas em Porto Alegre, a Presidenta Dilma Rousseff não teve dúvida em concluir: “(...) Eles não conseguiram nos destruir, mas se destruíram (...)”, se referindo aos golpistas que operam a doutrina de choque sem ter um candidato capaz de concorrer com o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O ex-Presidente Lula chegou de São Paulo no final da tarde (23) e foi direto para o comício no qual a Presidenta Dilma Rousseff lembrou da juíza federal Luciana Correa Torres de Oliveira, da 2ª Vara de Execução e Títulos do Distrito Federal que determinou a penhora do apartamento tripléx do Edifício Solaris, na Praia Astúrias, no Guarujá, para ressarcir os empresários brasilienses, por reconhecer que o apartamento é propriedade da empreiteira OAS Empreendimentos, apesar de ter sido usado como objeto da condenação do ex-presidente Lula, em primeira instância.

Lula, no entanto, disse que não ia falar de justiça, porque “(...) Primeiro: eu tenho advogados competentes que já provaram a minha inocência. Segundo: porque eu acredito que aqueles que vão votar deverão se ater aos autos do processo e não a convicções políticas de cada um”. Voltando-se para as setenta mil pessoas presentes ao ato, Lula disse: “(...) Terceiro, porque eu tenho vocês com quem eu convivo há mais de quarenta anos e vocês sabem da minha inocência. 

Eu vim aqui para falar do Brasil.
Eu vim aqui para falar da soberania nacional.
Eu vim aqui para falar da integração latino americana.
Eu vim aqui para falar do fortalecimento do Mercosul.
Eu vim aqui para falar contra os desmandos da área trabalhista (...).


Lula lembrou que o Brasil foi o último país da América Latina a ter uma universidade federal pública. Falou da necessidade de superar o complexo de vira lata, antes de falar “da imprensa covarde do Brasil”. Com bom humor lembrou do sonho de construir a Grande Pátria na América Latina e do significado do BRICS.

Lembrou que na época em que foi criado o Conselho de Defesa, quando foi descoberto o pré-sal, o Governo estadunidense mandou a IV Frota para a baia de Guanabara e concluiu “(...) eu vim aqui porque estou preocupado com o povo brasileiro (...) Eles criaram uma doença que se chamava PT e Dilma Rousseff (..) e deram uma anestesia no povo (..) Tiraram a Dilma e nós continuamos anestesiados. Agora estamos acordando (...) Aqueles que moravam na senzala querem subir para a casa grande e ninguém vai impedir”.
Hoje (24), às 8:30 horas será realizado o julgamento do recurso do ex-Presidente Lula, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região. 

Caso nenhum dos desembargadores peça “vistas”, saberemos hoje mesmo qual o resultado: se a decisão foi baseada nos autos do processo ou, se baixou o espírito de Torquemada no TRF-4.

* André Moreau, é Professor, Jornalista, Cineasta, Coordenador-Geral da Pastoral de Inclusão dos "D" Eficientes nas Artes (Pastoral IDEA), Diretor do IDEA, Programa de TV transmitido pela Unitevê - Canal Universitário de Niterói e Coordenador da Chapa Villa-Lobos - ABI - Associação Brasileira de imprensa, arbitrariamente impedida de concorrer à direção nas eleições de 2016/2019.