23.1.18

ELEIÇÕES SEM LULA, É FRADE

Por ANDRÉ MOREAU -


Ao som de Guarânias trabalhadores do MST Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, MPA – Movimento dos Pequenos Agricultores e membros do MAB - Movimento dos Atingidos por Barragens se reuniram na estrada (22), altura da ponte do Rio Guaíba de onde a Marcha da Via Campesina que integrará com o povo da cidade no Anfiteatro Pôr-do-Sol e em outras localidades, a ocupação de Porto Alegre (24), palco do julgamento do recurso do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva que contesta no TRF4 - Tribunal Regional Federal da 4ª Região, a condenação a nove anos e seis meses, exarada pelo juiz Sérgio Moro.

Segurando a faixa da Via Campesina que em letras garrafais dizia: ELEIÇÃO SEM LULA É FRAUDE, foi aberta pelos manifestantes que exigem o restabelecimento da democracia. O Ato na Avenida da Legalidade, em decorrência da Cadeia da Legalidade, época em que o governador do estado do Estado do Rio Grande do Sul, Leonel de Moura Brizola, liderou a resistência para que o legitimo sucessor da presidência, João Goulart, assumisse a presidência da Republica.

Cumpre ressaltar que no inicio dos anos 60 quando Jânio Quadros foi eleito Presidente do Brasil, o vice-Presidente também era eleito, tanto que Jânio Quadros foi o candidato da UDN e João Goulart, candidato do então PTB.

“Quiz o destino que o palco de outra grande batalha fosse aqui no Rio Grande” lembrou o Deputado Federal Paulo Pimenta ao cruzar o Rio Guaíba, segurando com o escritor e líder do MST, João Pedro Stedile, outra faixa com a seguinte inscrição: DEFENDER LULA É DEFENDER A DEMOCRACIA “(...) se eles quiserem nos vencer, eles vão ter que ter candidatos e nos ganhar no voto”, concluiu Pimenta que denunciou a perseguição sem crime, contra o ex-Presidente Lula.

A presença de repórteres da Rede Globo, foi criticada por manifestantes, por ser a empresa, a principal responsáveis pelo impeachment, sem mérito, da Presidenta Dilma Rousseff, eleita em 2014 por cinqüenta e quatro milhões e meio de votos.

Em entrevista ao Canal da Cidadania o Senador Lindbergh Farias lembrou que “Neste dia 22 o Governador Leonel de Moura Brizola, faria noventa e seis anos de aniversário. E nós estamos no Rio Grande do Sul e falar em Brizola é fundamental. E principalmente porque nós tivemos aqui com Brizola, a Cadeia da Legalidade (...)” e mais a frente lembrou que a “Globo teve papel fundamental nesse golpe”, no golpe de 1964 e de 2013.

Diante do quadro que se nos apresenta, de uma manifestação de massa em Porto Alegre, para defender a nosso soberania questionamos o seguinte.

Se com toda a ilegalidade de um julgamento fraudulento a democracia for alijada, impedindo que Lula concorra à presidência que outra alternativa resta aos nacionalistas que defendem a democracia?

E a marcha e os eventos seguem, para que o mundo todo saiba que vivenciamos uma doutrina de choques no Brasil: ELEIÇÕES SEM LULA É FRADE.

* Via e-mail/André Moreau, é Professor, Jornalista, Cineasta, Coordenador-Geral da Pastoral de Inclusão dos "D" Eficientes nas Artes (Pastoral IDEA), Diretor do IDEA, Programa de TV transmitido pela Unitevê - Canal Universitário de Niterói e Coordenador da Chapa Villa-Lobos - ABI - Associação Brasileira de imprensa, arbitrariamente impedida de concorrer à direção nas eleições de 2016/2019.