24.1.18

ENTREVISTA – “NOSSA CATEGORIA É MARGINALIZADA E IGNORADA PELO PODER PÚBLICO, MOTOBOYS SINDICALIZEM-SE, UNI-VOS!”, DANIEL LIMA, PRESIDENTE DO SIMTIERJ [VÍDEO]

DANIEL MAZOLA -

Com a crise econômica e a precarização do trabalho, cresce a cada dia uma categoria de bravos profissionais, muito necessária e presente em todos os setores da economia, são os motoboys, mototaxistas e motofretistas. Para entendermos como anda a luta desses trabalhadores, conversamos com o dirigente sindical Daniel Lima (foto), presidente do SIMTIERJ, única entidade credenciada no estado do Rio de Janeiro.


O sindicalista recebeu nossa equipe na sede da entidade, no centro do município de Nova Iguaçu. Ele explicou que o SIMTIERJ - Sindicato de Motoboy, Mototaxi e Motofrete de Nova Iguaçu e Região do Estado do Rio de Janeiro - foi fundado em 11 de agosto de 2007 para representar e defender os profissionais que exercem funções como motociclistas. “Nossa principal missão hoje é regularizar e capacitar a categoria, além de defender os trabalhadores em todas as esferas existentes em nossa democracia participativa. A categoria está esquecida pelo poder público, descriminada por parte da sociedade desinformada, mas estamos lutando e com muito esforço dos trabalhadores de todo o país conquistamos diversas reformulações em defesa da categoria”, e completa, “hoje temos a Lei Federal (n.º 12.009) para amparar nossos trabalhadores, e um sindicato para defender, organizar e reivindicar direitos”.

O presidente alerta os profissionais que atuam no estado do Rio de Janeiro, que existem regras para exercer a profissão legalmente, a lei exige curso de capacitação e equipamentos de segurança. “O SIMTIERJ está com inscrições abertas para o curso especializado e obrigatório, destinado à categoria. O DETRAN-RJ concedeu o credenciamento ao SIMTIERJ para aplicar o curso obrigatório, conforme publicação no Diário Oficial (30/08/16)”.

Os interessados em se qualificar e participar do curso que foi instituído pela Resolução do CONTRAN 414/2012 e tem como objetivo garantir aos profissionais motociclistas a aquisição de conhecimentos, padronização de ações e atitudes de segurança no trânsito, basta entrar em contato com o SIMTIERJ (tel.: 21 3540-3066) ou direto na sede (Rua Iracema Soares Pereira Junqueira, 85 – Centro – Nova Iguaçu). O presidente Daniel Lima informa que ainda é possível inscrever-se gratuitamente. “Todos os profissionais sem curso estão no exercício ilegal da profissão, estando sujeito à apreensão do veículo, da habilitação e multa”.

O presidente fez um chamamento para que todos os motoboys, mototaxistas e motofretistas do estado do Rio de Janeiro, irregulares ou não, cumpram as normas da Lei e sindicalizem-se, “é a única forma de fortalecer a luta da categoria. Hoje temos convênios com várias instituições e oferecemos total assistência jurídica aos nossos filiados. O SIMTIERJ pode ajudar dezenas de milhares de trabalhadores que estão marginalizados. Nossa missão é orientá-los, tirando as dúvidas, lembrando sempre da necessidade e obrigatoriedade do enquadramento de todos os profissionais motociclistas aos critérios da Lei, para que possam exercer a profissão tranquilos e amparados pelo sindicato”, destaca Daniel Lima.


Por fim o dirigente sindical desabafou: “já enviei tantos ofícios (veja os documentos acima, ampliar imagem) que perdi a conta, sempre pedindo apoio as diversas prefeituras do estado, governador, Detran, Batalhões da PM, deputados, vereadores, entre outros, mas não há solução ou vira 'jogo de empurra', ninguém quer nos ajudar de fato, querem manter a categoria sem segurança e direitos. Nos ofícios peço, entre outras coisas, que regulamentem a profissão em todos os municípios. E ainda existem empresas de aplicativo que estão destruindo o setor de motofrete com concorrência desleal e precarização das relações trabalhistas. A cada dia, as empresas aumentam os lucros e expõem o trabalhador motociclista a jornadas excessivas, baixos salários, falta de benefícios, insegurança em caso de acidentes e muito mais. Por isso reforço o chamamento aos profissionais motociclistas, procurem nosso sindicato, conscientizem-se, vamos construir juntos as necessárias conquistas da classe trabalhadora, ou seremos todos liquidados pelo poder do capital”.

Segue a entrevista: