18.1.18

O CONSTRUTIVISMO NA ESCOLA

Por MIRIAM COSTA PINTO -


Construtivismo não é um método de ensino, mas uma teoria a respeito da aprendizagem. Quem utilizou e tornou conhecida esta expressão foi a psicóloga Emília Ferreiro, nascida na Argentina em 1936. Partindo da teoria do seu mestre, o biólogo Jean Piaget, que investiu anos de estudo em compreender como indivíduo adquiri conhecimento, Ferreiro pesquisou o processo mental pelo qual as crianças aprendem a ler e a escrever, atribuindo à sua teoria o nome de Construtivismo.

partir da década de 80, no Brasil, o Construtivismo começou a ser estudado utilizado para embasar o trabalho pedagógico em sala de aulamudando a forma de alfabetizar e redefinindo as relações dentro do espaço educativo.

No Construtivismo considera-se um sujeito que conhece e o conhecimento se constrói pela ação desse sujeito, onde o ambiente tem um papel importante na construção de ocorrências de aprendizagem dentro das quais o educando vai produzir seu saber, respeitando a sua individualidade dentro do contexto coletivo em que está inserido, através das interações sociais.

No Construtivismo a importância do que se faz é igual ao como e porque fazer, buscando delinear os diversos estágios por que passam os indivíduos na ação de aquisição dos conhecimentos, de como se desenvolve a inteligência humana e de como o indivíduo se torna autônomo. O Construtivismo parte do pressuposto que nada está pronto e concluído, e o conhecimento não é algo estático, destacando o papel ativo e protagonista da criança em seu processo de aprendizagem, onde os conhecimentos são construídos pelos alunos, mediante aos estímulosdesafios, desenvolvimento do raciocínio, à experimentação, à pesquisa e ao trabalho coletivo.

As atividades diretamente ligadas à aquisição da lecto-escrita são baseadas no estudo de textos pertinentes à infância, onde há o incentivo na produção da escrita, por levantamento de hipóteses e levando em consideração os conhecimentos prévios do aluno.

Escolas que são asas não amam pássaros engaiolados. O que elas amam são pássaros em voo. Existem para dar aos pássaros coragem para voar. Ensinar o voo, isso elas não podem fazer, porque o voo já nasce dentro dos pássaros. O voo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado“.  Rubem Alves (via isacolli.com)