10.1.18

RECLAMAÇÕES CONTRA SUPERMERCADOS SÃO AS CAMPEÃS NO SINDICATO DOS COMERCIÁRIOS DO RIO DE JANEIRO

ILUSKA LOPES -

Os trabalhadores do comércio, durante o ano de 2017, exerceram seus direitos e utilizaram o setor de denúncias do Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro para relatar os desrespeitos praticados no segmento.


De acordo com o SECRJ, as empresas que mais tiveram denúncias dos comerciários foi o setor de supermercados. Entre as 14 empresas com maior número de denúncias, sete são redes de supermercados da capital.

As principais reclamações estão relacionadas ao não pagamento do adicional ou das folgas de domingos e feriados (27%), não pagamento de horas extras ou problemas com banco de horas (13%) e assédio moral (10%).

Os comerciários também se queixaram de atrasos nos pagamentos, pagamento por fora do contracheque e homologações fraudulentas, dentre outros abusos cometidos pelos patrões.

Na comparação por segmento, os magazines e lojas de vestuário ficaram na segunda colocação, com quatro empresas dentre as 14 primeiras. Também aparecem na listagem redes de lojas de eletroeletrônicos, atacadistas de alimentos e lojas de material de construção.

O ranking das empresas do comércio carioca com maior número de denúncias por desrespeito às leis trabalhistas ou à convenção coletiva:

1ª – Campeão (Supermercados Germans),
2º – Pão de Açúcar (Grupo GPA),
3º – Leader,
4º – Zona Sul,
5º – Supermercados Guanabara,
6º – Ponto Frio,
7º – Casas Bahia,
8º – Super Rede (Cerealista),
9º – Riachuelo,
10º – Amoedo,
11º – Lojas Americanas,
12º – Prezunic,
13º – Ricardo Eletro,
14º – Supermercados Mundial.

Segundo a assessoria de imprensa do SECRJ as reclamações cadastradas no site (secrj.org.br/denuncias) passam por uma triagem e a empresa pode ser chamada ao Sindicato para apresentar documentos e esclarecer os problemas. Existe também a fiscalização realizada pela equipe do Sindicato no estabelecimento para constatar se a denúncia procede ou não. Caso se confirme, esta pode caminhar para uma ação judicial ou ser remetida ao Ministério Público do Trabalho com pedido de elaboração de Termo de Ajustamento de Conduta. A denúncia pode ainda ser direcionada a outros órgãos, como a Vigilância Sanitária, a Defesa Civil e a Superintendência Regional do Ministério do Trabalho.

O presidente do Sindicato dos Comerciários, Márcio Ayer explica: “As empresas ao descumprirem as convenções coletivas de trabalho, podem ser multadas e ter o bloqueio de seus pedidos de acordo para abertura aos domingos e feriados”. Ayer completa: “ O trabalhador deve fazer a denúncia e é opcional sua identificação”. (com informações do SECRJ)