18.1.18

UM MAIA QUE SÓ ESPERA UM MILAGRE PARA SER MESMO CANDIDATO À PRESIDÊNCIA

MÁRIO AUGUSTO JAKOBSKIND -


O patético Rodrigo Maia, que preside a Câmara dos Deputados, anuncia nos Estados Unidos onde se encontra para dar recados que pretende concorrer ao pleito de 7 de outubro que escolherá o sucessor do golpista lesa pátria Michel Temer. Só que o filho do vereador e ex-prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia, também do Partido Democratas, condiciona a confirmação de sua candidatura ao aumento dos percentuais das pesquisas. Neste momento o nome de Rodrigo Maia está em 1%, mas a hora em que estiver em 7%, conforme declarou, o deputado se apresentará oficialmente.

Como se sabe, Rodrigo Maia já concorreu à Prefeitura carioca obtendo índices que não ultrapassaram os 3%. Antes de ser escolhido sucessor do meliante Eduardo Cunha em um acordo da base aliada, Rodrigo Maia era por assim dizer uma figura apagada, mas que ganhou projeção com o cargo defendendo com máxima veemência posições direitistas, mas que agora tenta se apresentar como político de centro.

Não é preciso grandes esforços para concluir sobre a ideologia de Rodrigo Maia. Basta verificar os seus posicionamentos, inclusive o mais recente de severa crítica à Bolsa Família. O parlamentar patético é também ardoroso apologista da contra reforma da Previdência e assim vai.

Está em disputa com o Ministro da Fazenda e aposentado do Banco de Boston, Henrique Meirelles, sobre algumas questões, como o da não votação pela Câmara dos Deputados da contra reforma da Previdência. Os dois querem se fortalecer para ver quem é o mais credenciado a ter o apoio do mercado financeiro. Por isso, tanto Maia como Meirelles diariamente aparecem na mídia comercial defendendo o que o governo de Michel Temer tenta de todas as formas enfiar goela adentro dos trabalhadores brasileiros.

É por aí que navega Rodrigo Maia, tentando de todas as formas ser o preferido do mercado financeiro, correndo por fora o Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, também produto do mesmo esquema ideológico, onde também aparece o Deputado Jair Bolsonaro, o mais ainda a direita, que se esvazia na medida em que começam a serem conhecidos os seus podres, que não são poucos, por sinal.

É neste jogo que Rodrigo Maia tenta se consolidar e ainda de quebra pretende que o seu pai, Cesar Maia venha a ser candidato ao Governo do Estado do Rio de Janeiro, hoje governado por Pezão, que foi também reserva de nada mais nada menos que Sergio Cabral, um político preso e já condenado a pena superior a 80 anos por inúmeras acusações de corrupção. Pezão segue, lépido e faceiro, governando o falido Estado do Rio de Janeiro, apesar de também inúmeras denúncias contra ele, por sinal nem se quer investigadas.

É o que se apresenta no Brasil nestes primeiros dias de 2018, o ano em que está marcado para a realização do pleito direto para a escolha pelos eleitores do Presidente da República e a renovação da Câmara dos Deputados e parte do Senado. Como a cada dia que passa a opinião pública começa a despertar para a realidade dos tempos atuais em que Michel Temer é presidente, cercado por uma patota também acusada de corrupção, candidatos associados ao ocupante ilegítimo do Palácio do Planalto, como o próprio Rodrigo Maia e Henrique Meirelles, e o apoiado por Temer, Geraldo Alckmin, seguem com baixos índices nas pesquisas. E isso apesar de serem apresentados pela mídia comercial como grandes políticos.

Mas como, vale sempre repetir, a opinião pública começa a deixar de lado a anestesia política a que foi submetida, é bem possível que os políticos mencionados sigam com os mesmos baixos percentuais nas pesquisas, o que desde já gera um nervosismo entre os que não pretendem permitir que o projeto atual executado por Temer sofra qualquer revés.

Por estas e muitas outras que ainda podem surgir, o esquema golpista é capaz de tudo para evitar que o povo brasileiro decida o seu futuro nas urnas de 7 de outubro. Resta, portanto, aguardar o desenrolar dos acontecimentos e, desde já, estar mobilizado para evitar o aprofundamento do golpe de 2016.

* Via e-mail/Mário Augusto Jakobskind, é Professor, Jornalista, Escritor, vice-presidente na Chapa Villa-Lobos, arbitrariamente impedida de concorrer à direção da ABI (2016/2019) e Coordenador de História do IDEA, Programa de TV transmitido pela Unitevê - Canal Universitário de Niterói.