1.2.18

COM LULA OU SEM LULA, AGORA E NA ELEIÇÃO DE 2018

HELIO FERNANDES -


Essa colocação já estava definida ha muito tempo. Numa lista indefinida mas existente, a mediocridade e a falta de credibilidade dominavam e preenchiam a despudorada relação dos que pretendiam se elevar de ignorados a presidenciáveis.

E até se julgando vencedores, sem credenciais, sem passado, presente, e seguramente sem futuro. Pelo menos político.

Com o descaso, o desinteresse e até o desprezo da opinião publica, foram surgindo nomes os mais  descaracterizados, disparatados, despreparados. Mas com a voracidade do exibicionismo de um momento ou de um instante, que pretendiam prorrogar pelo maior tempo possível. Entravam e saíam do noticiário, eles mesmos chamavam isso de estratégia.

Leia mais na COLUNA