12.2.18

GOLPE DE ESTADO E SABOTAGEM DA CULTURA POPULAR ETERNIZADOS NO CARNAVAL DE 2018 [VÍDEO]

ANDRÉ MOREAU -


A cortina de fumaça que turva a visão dos incautos sobre o golpe de estado, perdeu densidade depois que o vampiro que ocupa de forma ilegítima a presidência, foi eternizado pela escola de samba Paraíso do Tuiuti, no Sambódromo (12), com o enredo “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”

Os valentes foliões do “(...) Tuiuti, o quilombo da favela (...)”, de São Cristóvão, sambaram como lutam os bravos guerreiros, clamando a Deus: “Meu Deus! Meu Deus! / Se eu chorar não leve a mal / Pela luz do candeeiro / Liberte o cativeiro social (...)”, imposto pelo vampiro ocupante da presidência que rasgou a Constituição e A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), o ilegítimo que traiu a Presidenta Dilma Rousseff, interpretado de forma irretocável pelo Professor Léo Morais.

Com simplicidade e obstinação, a Paraíso do Tuiuti, contagiou o público, cumprindo de forma expressiva o principal fundamento do Carnaval: a crítica com muita arte.


A composição do enredo ficou a cargo de Cláudio Russo, Moacyr Luz, Jurandir, Zezé e Aníbal. O carnavalesco, Jack Vasconcelos e o intérprete, Nilo de Milênio.

“Olhai por nós o prefeito não sabe o que faz.” Representando o vigor dos carnavais de outros tempos, com passistas no chão e pequenos, mas representativos carros alegóricos construídos com material reaproveitado, a verde e rosa eternizou outra figura: o prefeito evangélico responsável por uma carreira política voltada aos interesses da empresa com fachada de Igreja, interpretado por um boneco pendurando pelo pescoço, como Judas, no último carro alegórico da verde e rosa.


Com o enredo "Com dinheiro ou sem dinheiro... Eu brinco!" a Estação Primeira da Mangueira mostrou sua peculiar maestria enfrentando com simplicidade e originalidade, as sabotagens do prefeito que vem tentando acabar com o Carnaval e transformar a Cidade Maravilhosa em uma grande favela da seita evangélica, a partir dos presídios - depósitos de internos - nos quais só se “ressocializa” quem decorar os mandamentos da seita.

A composição do enredo é de Lequinho, Júnior Fionda, Alemão do Cavaco, Gabriel Machado, Wagner Santos, Gabriel Martins e Igor Leal. O carnavalesco é Leandro Vieira.

* André Moreau, é Professor, Jornalista, Cineasta, Coordenador-Geral da Pastoral de Inclusão dos "D" Eficientes nas Artes (Pastoral IDEA), Diretor do IDEA, Programa de TV transmitido pela Unitevê - Canal Universitário de Niterói e Coordenador da Chapa Villa-Lobos - ABI - Associação Brasileira de imprensa, arbitrariamente impedida de concorrer à direção nas eleições de 2016/2019.