20.2.18

GOVERNO RECUA DURANTE O ‘DIA NACIONAL DE LUTA’, PROPOSTA DE REFORMA DA PREVIDÊNCIA É RETIRADA DA PAUTA

Via FENEPOSPETRO -


A Federação articulada com os Sindicatos dos Frentistas de todo o Brasil, representando 600 mil trabalhadores da categoria participou do Dia Nacional de Luta contra a reforma da Previdência. Cerca de 20 mil manifestantes, centrais sindicais e movimentos sociais protestaram na Avenida Paulista no fim da tarde de ontem (19). Os trabalhadores comemoraram a retirada de pauta da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 286, que trata da reforma previdenciária.

Mobilizações aconteceram em estados como Rio Grande do Sul, Alagoas, Ceará, Piauí, Paraná, São Paulo, Sergipe, Bahia, Rondônia, Rio Grande do Norte, Pará, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco e Santa Catarina.

Os atos também serviram para denunciar a nova manobra golpista desse desgoverno corrupto e entreguista, a intervenção militar na segurança do Estado do Rio. O presidente da FENEPOSPETRO e do SINPOSPETRO-RJ, Eusébio Pinto Neto participou ativamente das atividades programadas na cidade do Rio de Janeiro. “Frentistas, diretores e funcionários do Sindicato dos Frentistas do Município do Rio estão na luta, mesmo de baixo de chuva intensa e do ameaçador esquema policial, comandado pelo general interventor. O Brasil protesta, a pressão popular surtiu efeito, o "constitucionalista" Temer recuou retirando da pauta de 2018 a "reforma" Previdenciária, foi uma vitória conquistada pelo povo na rua!”.

Na parte da manhã, ocorreram trancamentos de rodovias em várias regiões do país, fechamentos de agências bancárias, paralisação de ônibus municipais e de fábricas. Diversas categorias paralisaram suas atividades, como metalúrgicos, professores, bancários, entre outras.

Foi grande a vibração dos manifestantes em todo o Brasil quando souberam que o presidente do Congresso Nacional, Eunício Oliveira (MDB-CE), havia acabado de determinar a suspensão da tramitação de todas as Propostas de Emenda à Constituição (PEC), como é o caso da reforma da Previdência, enquanto vigorar o decreto de intervenção do Rio de Janeiro, previsto até dezembro.

Diversos lutadores da categoria participaram em suas regiões e cidades das ações e atividades ontem. Seguiremos lutando, esse é o único caminho possível para derrotar o governo golpista e reverter os seus ataques. Nenhum Direito a menos!

* Daniel Mazola, assessoria de imprensa FENEPOSPETRO