13.2.18

OS VERDADEIROS COVEIROS DO FUTEBOL DO RIO

WILSON DE CARVALHO -


A decisão da Taça Guanabara, entre Flamengo e Boa Vista, pelo Campeonato Estadual do Rio de Janeiro, está sem local a menos de uma semana. E, pior: pode ser disputada onde a média de público é ridícula: Volta Redonda. O que, aliás, a Globo adora, pois ganha mais publicidade e espectadores... E por que sem local? Pasmem, simplesmente porque o presidente do Botafogo decidiu vetar o jogo no Engenhão. Estádio municipal, vale lembrar, construído com dinheiro público e desnecessário para o Pan-Americano de 2006. Depois, presenteado pelo então prefeito botafoguense Cesar Maia, hoje, vereador eterno...

Na verdade, o veto tem por motivo a incompetência dos dirigentes: uma simples gozação de um jogador do Flamengo à torcida do Botafogo. Mais grave é que a maior parte da grande mídia reforça a ideia de que os Estaduais não têm mais sentido. Omitindo o atual sucesso dos campeonatos de São Paulo, Minas e Rio Grande do Sul, por exemplo, onde há organização, times reforçados, ao contrário do Vasco, Fluminense e Botafogo, que se mutilaram... Os locais também são preservados, o Pacaembu administrado pela Prefeitura, enquanto aqui, a concessionária Odebrecht, que deveria ter sido expulsa do país, usa o templo do futebol para shows. Depois de desfigurá-lo com as obras para a Copa do Mundo.

A TV Globo é outro motivo da bagunça, marcando jogos às 20h de um domingo e, pasmem, na Ilha do Governador, local de muita periculosidade e de difícil acesso. E aí dizem que o Estadual do Rio é que não presta, já era. Não se faz uma pesquisa para ouvirem, por exemplo, que um Fla x Flu tem muito mais charme e valor máximo no país, quando é disputado pelo campeonato regional. Omitem também o sucesso dos clássicos nos últimos Estaduais do Rio, envolvendo os falidos e chamados quatro grandes, mas jogados no Maracanã. O que não falta é argumento para provar que o problema está na desorganização, agravada por competições paralelas, que forçam burramente a escalação de times reservas. Além dos horários e regulamentos absurdos impostos pela TV Globo, colocando-se a FERJ, onde os próprios clubes aprovam as barbaridades, como culpada de tudo.

Como se pode, por exemplo, não aproveitar o moderno estádio do América, para 16 mil pessoas, praticamente no Rio, a dez minutos de Anchieta, transporte à vontade, ótimo local mais do que provado pela parceria com o Fluminense? É a bagunça e incompetência que acontece em nosso país, comandado por corruptos e ladrões sem autoridade alguma para as devidas correções. Por essas e outras, não há, por exemplo, como se afastar a Odebrecht da concessão do Maracanã, abandonado literalmente, permitindo furtos e roubos e só voltando por imposição da Justiça? Já esqueceram? Ou a afastando da Supervia, onde a administração é péssima e, pasmem, com o bilhete a R$ 4,20, mais caro que ônibus?

Pobre Brasil. Cada vez mais destruído por culpa de uma sociedade omissa.