7.2.18

SINDICATO DOS COMERCIÁRIOS DO RJ VAI À JUSTIÇA PARA REINTEGRAÇÃO DE DEMITIDOS DOS SUPERMERCADOS CARREFOUR

ILUSKA LOPES -


A rede internacional de supermercados Carrefour não respondeu ao Ministério Público do Trabalho (MPT), o motivo da demissão de 25 trabalhadores, que participaram do movimento grevista, no final do ano passado. Em audiência realizada na última semana no Ministério, o diretor regional da empresa Antônio Gérson explicou que as dispensas dos funcionários ocorreram devido à crise econômica no país, forçando a empresa a se “reestruturar”.

Para Márcio Ayer, presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro, que moveu a ação e participou da audiência, a “desculpa” é absurda já que no período de festas de fim de ano, as empresas costumam contratar para dar conta do aumento de vendas nesta época. Ayer afirma que entre os demitidos também estão funcionários ‘campeões de vendas’, que por anos deram grandes lucros ao Carrefour. “Os demitidos foram os que mais participaram da luta pela volta dos seus direitos, como por exemplo, o pagamento do adicional de domingos e feriados”, disse Márcio Ayer.

A procuradora do MPT, Luciana Tostes também não aceitou a justificativa da rede de supermercados e decidiu ouvir os 25 trabalhadores envolvidos no caso. Os depoimentos ainda serão marcados e poderão caracterizar o ato como retaliação aos empregados que ameaçaram entrar em greve.

“Precisamos de uma assembleia. Vocês têm que garantir aos funcionários que podem participar sem medo de retaliações”, exigiu a procuradora dos advogados da empresa.

O MPT e o Sindicato vão atuar juntos para processar o Carrefour, provavelmente por práticas antissindicais (devido às demissões por participação em atividade do sindicato) e abuso de poder diretivo.

O Sindicato dos Comerciários continua as negociações com o Carrefour para a reintegração imediata dos demitidos e a volta do adicional de domingos e feriados, dentre outras pautas. “Vamos às lojas novamente conversar com os trabalhadores e avaliar quando e onde poderemos marcar nova assembleia”, ressaltou o presidente Márcio Ayer. (informações da assessoria de imprensa do Sindicato dos Comerciários do RJ)