7.3.18

1- NÚMEROS MOSTRAM QUE PERSISTE CENÁRIO DE VIOLÊNCIA CONTRA MULHER; 2- DEPUTADO DE MG SE RETRATA NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA SOBRE OFENSAS A MARIA DO ROSÁRIO [VÍDEO]

REDAÇÃO -




A violência contra a mulher no Brasil é persistente. Pesquisa do Datafolha, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança, revela que uma em cada três mulheres sofreram algum tipo de violência em 2016. Só de agressões físicas, o número é alarmante: 503 mulheres brasileiras são vítimas a cada hora.

Os dados mostram que apenas em 2016, um total de 12 milhões de mulheres sofreram ofensa verbal. Além disso, 10% das mulheres sofreram ameaça de violência física, 8% sofreram ofensa sexual, 4% receberam ameaça com faca ou arma de fogo. E ainda: 3% ou 1,4 milhão de mulheres sofreram espancamento ou tentativa de estrangulamento e 1% levou pelo menos um tiro.

A pesquisa mostra que, entre as mulheres que sofreram violência, 52% se calaram. Apenas 11% procuraram uma delegacia da mulher e 13% preferiram o auxílio da família. Em 61% dos casos, o agressor faz parte da 'família ou é um conhecido. Em 19% das vezes, eram companheiros atuais das vítimas e em 16% eram ex-companheiros.

Negras e jovens - O levantamento do Datafolha aponta que os assédios mais graves aconteceram entre jovens (16 a 24 anos) e entre mulheres negras. Só entre as vítimas de comentários desrespeitosos, 68% eram jovens e 42% mulheres negras. Já em assédio físico em transporte público, 17% eram jovens e 12% negras.

Violência crescente - A sensação da maioria dos brasileiros (73%) é de que a violência contra a mulher aumentou ainda mais na última década. A maior parte das mulheres (76%) pensam o mesmo. (via Agência Sindical)

***
Deputado de MG se retrata na Assembleia Legislativa sobre ofensas a Maria do Rosário