8.3.18

A UNANIMIDADE JUDICIAL CONTRA LULA É ANORMAL

JEFERSON MIOLA -


No tribunal de exceção da Lava Jato [TRF4], os 3 juízes decidiram incrivelmente de maneira idêntica. Eles combinaram até mesmo nos detalhes o tempo de prisão que atribuiriam ao ex-presidente Lula.

No STJ, os 5 juízes também decidiram incrivelmente de maneira unânime. Todos eles, com argumentos falaciosos por igual, não concederam o habeas corpus para proteger Lula da prisão ilegal, sem sentença condenatória transitada em julgado [inciso LVII do artigo 5º da CF].

A unanimidade judicial contra Lula é anormal. O objetivo, com ela, é simular uma falsa normalidade e uma falsa certeza jurídica da condenação injusta do Lula.

O processo contra Lula suscita críticas da comunidade jurídica nacional e estrangeira, mas produz estranha unanimidade em setores do judiciário brasileiro.

Esta unanimidade evidencia o caráter totalitário do judiciário nestes tempos de exceção e de autoritarismo midiático-judicial.

A partir de agora, o habeas corpus do Lula só pode ser julgado pelo STF – isso se e quando a Soberana presidente do supremo decidir submetê-lo ao plenário.

Carmen Lúcia retarda ao máximo o julgamento do habeas corpus pelo STF para dar tempo a Moro e aos verdugos do trf4 emitirem o mandado de prisão do Lula.

Carmem Lúcia faz de tudo para garantir o constrangimento e a humilhação do ex-presidente Lula preso. A presidente do STF está empenhada em preparar para a Rede Globo a edição de luxo do jornal nacional.