8.3.18

CINCO MILHÕES DE DÓLARES

HELIO FERNANDES -


Segunda feira, exatamente meio dia. Um carro de luxo, com 3 homens, entrou no aeroporto de Guarulhos pelo portão 16. Sem a menor dúvida, se dirigiram para o fundo do aeroporto, até o terminal de cargas.

Lá estavam parados dois aviões. Dois dos passageiros saltaram. Sabiam qual era o avião que interessava, subiram.

Não demoraram nem 10 minutos, desceram com uma bolsa grande, fizeram um sinal afirmativo para o motorista, o que significava que na bolsa estavam 5 milhões de dólares.

Até hoje, a policia não sabe quem são esses personagens. Também não recebeu nenhuma reclamação dos possíveis prejudicados. Conclusão: surrealismo ou corrupção altamente sofisticada.

VELOCIDADE NA UNANIMIDADE

Terça feira, as 7 horas da noite, o STJ terminou o julgamento do HC preventivo do ex-Presidente Lula. Todos conhecem o resultado: 5 a 0 contra o candidato Lula. Mas na quinta feira passada, quando seria o julgamento adiado, este repórter informou, que o resultado seria este: 5 a 0.

Ontem, a 1 hora da tarde, os 3 Desembargadores do TRF4, terminaram de examinar a conclusão do STJ, e ratificaram inteiramente o que fora decidido. Novamente 3 a 0, outra unanimidade. Agora só resta um último recurso para Lula se manter candidato: recorrer ao plenário do STF.

Para o candidato Lula ser considerado ELEGÍVEL ou INELEGÍVEL, a decisão final do STF 6 a 5 a favor dele, ou 6 a 5 contra ele. Fora disso, o problema que deve ser solucionado imediatamente.

A Presidente Carmem Lúcia se recusa a colocar o assunto em pauta. Mas, pressionada pelos 2 lados, não poderá resistir indefinidamente.

EX-PRESIDENTE DO BB, EX-PRESIDENTE DA PETROBRÁS

Seu nome, Audemir Bendini. Era tido e havido como um dos melhores quadros do Brasil. Indispensável e sempre tratado com alta relevância. Em determinado momento, a roubalheira das empreiteiras na Petrobrás, exigiu uma mudança drástica na petrolífera.

Reconheceram logo que a solução era tirar o Bendini do BB e transferi-lo para a Petrobras. Isso foi feito imediatamente. Mas inacreditável, ele não durou mais do que 15 meses, ou seja, 1 ano e 3 meses. Foi acusado de corrupção, recebimento de propina da Odebrecht e lavagem de dinheiro.

Está preso desde julho de 2017. A acusação, depois de profundas investigações, deu números à acusação: ele recebeu da Odebrecht, 3 milhões de reais.

Agora, a conclusão surpreendente e inacreditável: ele recebia anualmente no BB e depois na Petrobrás, mais do que esses 3 milhões da propina da empreiteira.

Não há a menor possibilidade de explicação para esse comportamento. Perdeu os cargos, não aumentou a fortuna, está preso há 9 meses, e ontem, foi condenado a 11 anos de prisão.