9.3.18

‘DIA INTERNACIONAL DA MULHER’ NA CANDELÁRIA REÚNE MILHARES [VÍDEO]

ANA CLARA SALLES -


Rio de Janeiro – O Dia Internacional da Luta da Mulher, comemorado nesta quinta-feira (8), mobilizou na Candelária um ato militante em defesa das pautas feministas e contra a intervenção militar no Estado do Rio de Janeiro. As principais demandas se resumem na questão do aborto, contra o assédio de todos os tipos, pela mulher negra de periferia, da condição das mulheres indígenas, transexuais e demais grupos LGBT.

O descaso do Estado em relação a direitos básicos de saúde, educação e qualidade de vida para essas categorias na sociedade levantou milhares de mulheres em um dia de chuva constante no Centro da Cidade.

A realidade da mulher brasileira em seu dia-a-dia é de constante machismo aflorando por todos os lados de várias formas. O assédio diário nas ruas (não importa o que a mulher está vestindo), estupro, violência física e psicológica, salários desiguais, objetificação do corpo feminino, a morte de mulheres pobres por meio da proibição do aborto, pois as ricas abortam e as pobres morrem.

O ataque a mulheres LGBTs é também uma problemática que é preocupante, principalmente em relação às mulheres transexuais que no Brasil tem expectativa de vida de 30 anos, além da maioria das trans terminarem nas ruas e na prostituição para sobreviver. A dificuldade de conseguir outro meio de vida se dá pelo grande estigma e preconceito da sociedade.

O ato encerrou na Praça XV, com policiais militares desobstruindo a via ocupada pelos manifestantes. Esse ato demonstrou não apenas uma resistência, mas a luta diária de mulheres de várias categorias da sociedade. A luta continua e a revolução será feminista!