28.3.18

IMPASSE MARCA A 4ª RODADA DE NEGOCIAÇÃO SALARIAL DOS FRENTISTAS DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO

Via SINPOSPETRO-RJ -

Uma nova rodada de negociação salarial foi realizada nesta terça-feira (27), na sede do SINPOSPETRO-RJ, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio. A diretoria do sindicato, pela segunda vez, rejeitou a proposta da comissão patronal de reajuste salarial de 2,84% e aumento de 3% nas cláusulas do abono salarial, seguro de vida, tíquete-refeição e cesta básica de alimentos.  O presidente Eusébio Pinto Neto propôs, para fechamento da negociação, reajuste salarial de 3,26% e 8% nas cláusulas.


Depois de quatro rodadas de intensos debates, a negociação salarial dos trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência do município continua indefinida. Isso porque os patrões insistem em manter a mesma proposta da 3ª rodada, que segundo o presidente do SINPOSPETRO-RJ é desfavorável ao trabalhador, “está abaixo das necessidades da categoria. É necessário aumentar o poder de consumo do trabalhador Frentista, na reunião do dia 21, nós propomos aumento de 4,5% de reajuste salarial e 10% no abono salarial, seguro de vida, tíquete-refeição e cesta básica de alimentos, na reunião de hoje (27) reelaboramos e reivindicamos reajuste salarial de 3,26% e aumento de 8% nas cláusulas. Agora espero que a comissão patronal avalie com lucidez, reflita e aceite nossa proposta”.

NEGOCIAÇÃO - Na abertura da reunião, o vice-presidente do Sindcomb (entidade patronal), Antônio Barbosa Ferreira, agradeceu o convite por negociar na casa dos Frentistas, “sempre temos que priorizar o respeito e a cordialidade nas negociações”. Em seguida manteve a proposta de 2,84% de reajuste salarial e 3% para as outras cláusulas econômicas, na qual foi deliberado pela comissão patronal. Em contra partida, o presidente laboral, Eusébio Pinto Neto disse que o estipulado está dentro do previsto em função da conjuntura econômica do país, “mas sabemos que é possível mais, solicito à banca patronal compreensão para avançarmos, principalmente nos reajustes do abono salarial, no tíquete-refeição e cesta básica de alimentos”.

O presidente do SINPOSPETRO-RJ propôs para fechamento da negociação um reajuste salarial de 3,26% e 8% nas cláusulas do abono salarial, seguro de vida em grupo, tíquete-refeição e cesta básica de alimentos. “Não tem como fechar com o aumento proposto pela comissão patronal, que com o decorrer dos anos será tamanha a defasagem, que não teremos como recuperar a situação financeira dos trabalhadores”. Junto com a comissão patronal, o vice-presidente do Sindcomb, Antônio Barbosa Ferreira, disse que chegaram ao limite e que não tem condições de oferecer maiores reajustes. Representando o SINPOSPETRO-RJ, participaram o presidente Eusébio Luis Pinto Neto, a vice-presidente Aparecida Evaristo, o secretário-geral Reinaldo Pinheiro, o diretor financeiro Isaías Albuquerque, a advogada Luciana Angelita, e o assessor Bartolomeu França.

A diretoria continuará lutando para que avance e chegue a um acordo que contemple as necessidades dos trabalhadores em postos de combustíveis e lojas de conveniência do município do Rio de Janeiro. Ambas as entidades se comprometeram a seguirem negociando.

* Daniel Mazola, assessoria de imprensa SINPOSPETRO-RJ