7.3.18

PARABÉNS, ZICO, PELOS 65 ANOS DE VIDA EXEMPLAR

WILSON DE CARVALHO -


Entre as muitas entrevistas que fiz com o maior ídolo do Flamengo, no O Dia e no Jornal dos Sports, selecionei estas duas, pois dizem muito bem sobre o exemplo que ele foi dentro e fora de campo. Na segunda matéria, enfoquei apenas o homem comum e o resultado foram declarações que demonstraram o seu caráter, dignidade e as preocupações naturais de qualquer ser humano.

Entre elas, “Não me iludo: quando parar de jogar, serei esquecido”; “Minha mulher é tudo para mim. Curto muito a casa”; "Publicidade só de produtos inofensivos”; "Fui um garoto suburbano e me orgulho muito disso”; "Corro como o Antunes e sou habilidoso como Edu”; "O governo fracassou na sua política econômica“; “Tenho medo da insegurança da cidade, de assaltantes”. “Não penso em trabalhar como técnico”.

Na primeira e nesta última declaração, pode-se dizer que ele evoluiu, pois não foi esquecido e trabalhou como técnico com ótima campanha até em Copa do Mundo, dirigindo o Japão, onde também é ídolo. Estas e muitas outras matérias, algumas séries, inclusive, sobre os maiores personagens e os anos de ouro do futebol, estarão no meu próximo livro.

***
NOVO SÃO CRISTÓVÃO?

Apesar das duras críticas por forçar de mais uma permanência na Segunda Divisão, o América continua grande, mas dirigido por incompetentes, salvo raríssimas exceções, nestas últimas décadas. Uma incompetência que vai além do campo. Vejam a sede de Campos Salles destruída. Sede que era fantástica, sem nenhum exagero. Exemplo também do ótimo estádio em Edson Passos se deteriorando. Acho até que perdeu a parceria com o Fluminense exatamente por falta de manutenção. É só verificar o desgaste do gramado, especialmente nos gols. E volta a negociar a sede da Tijuca pela segunda vez depois de ter perdido a área excepcional de Vila Isabel para o Shopping Iguatemi. Anunciam nova sede na rua Campos Salles, sobre um shopping, semelhante a um transatlântico e ainda não aprovado totalmente por órgãos públicos...

E assim o América vai descendo a ladeira. Perdendo tudo. Dentro e fora de campo. Situação que tem tudo a ver com uma reportagem que fiz no Jornal dos Sports, antecipando a morte do São Cristóvão. Era só trocar o nome do clube. Lamentavelmente.