15.3.18

SINPOSPETRO-RJ EXIGE INVESTIGAÇÃO RIGOROSA E LAMENTA O ASSASSINATO DA VEREADORA MARIELLE FRANCO (PSOL-RJ)

Via SINPOSPETRO-RJ -

Sindicato dos Frentistas do Município do Rio de Janeiro exige a investigação rigorosa e imediata das circunstâncias do crime e não sossegará enquanto essa brutal violência não for esclarecida. Convocamos toda a categoria para ato nesta quinta-feira (15) na Cinelândia, às 17 horas.


NOTA DE REPÚDIO - O SINPOSPETRO-RJ lamenta profundamente o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e exige a investigação rigorosa e imediata das circunstâncias do crime. Nossa entidade não sossegará enquanto o crime não for devidamente esclarecido.

A vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), 38 anos, foi morta a tiros na noite desta quarta-feira (14), na Lapa, após sua participação no evento “Jovens negras movendo as estruturas”. O motorista Anderson Pedro Gomes também foi alvejado e morto. Nenhum pertence foi levado.

Marielle Franco é reconhecida por sua dedicação e luta por direitos humanos, especialmente em defesa dos direitos das mulheres negras e moradores de favelas e periferias e na denúncia da violência policial. No sábado, Marielle compartilhou em seu perfil no Facebook o relato de que policiais do 41º Batalhão da PM do Rio estariam aterrorizando moradores da comunidade.

"Precisamos gritar para que todos saibam o está acontecendo em Acari nesse momento (...). Nessa semana dois jovens foram mortos e jogados em um valão. Hoje a polícia andou pelas ruas ameaçando os moradores. Acontece desde sempre e com a intervenção ficou ainda pior", denunciou Marielle pedindo que a imagem postada pelo Coletivo Papo Reto fosse compartilhada por todos.

No mesmo dia, ela postou a notícia do coletivo Fala Akari que também informava que policiais do mesmo batalhão entraram na favela atirando com três caveirões, por volta das 6 da manhã de sábado. E protestou: "CHEGA de esculachar a população. CHEGA de matar nossos jovens".

A vereadora Marielle Franco questionava a situação da segurança pública do estado e recentes casos de violência na cidade do Rio. No Twitter, quando comentava a morte de mais um jovem no Rio, a vereadora publicou: "Quantos mais vão precisar morrer para que essa guerra acabe?"

Sua história de luta pelos direitos dos abandonados pelo Estado é notória, longa e motivo de admiração de todos que conheceram e tiveram a honra de em algum momento dividir trincheiras de luta com ela. Exigimos uma rápida e profunda investigação sobre o ocorrido. O ataque à vida de Marielle é um ataque à democracia.

O Sindicato dos Frentistas do Município do Rio de Janeiro - SINPOSPETRO-RJ convoca todas às trabalhadoras e trabalhadores para somar suas vozes ao ato nesta quinta-feira (15) na Cinelândia, às 17 horas.

MARIELLE FRANCO,
PRESENTE!