10.4.18

1- COLABORADOR DE VEREADOR QUE DEPÔS NO CASO MARIELLE É ENCONTRADO MORTO; 2- MILICIANO ACUSADO DE MATAR JOVENS EM MARICÁ AGIU SOZINHO, DIZ POLÍCIA

REDAÇÃO -


Policiais militares encontraram o corpo de Carlos Alexandre Pereira, de 37 anos, na noite deste domingo (8) em uma rua no bairro da Taquara, em Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro. A Delegacia de Homicídios da capital investiga o homicídio.

Carlos Alexandre era colaborador voluntário do vereador Marcello Siciliano (PHS). O gabinete do parlamentar divulgou uma nota de pesar:

“Foi com grande pesar que recebi a notícia de falecimento do nosso colaborador Carlos Alexandre Pereira. Durante o tempo em que esteve conosco, fez tudo pela sua localidade e estava sempre disponível para ajudar no que fosse necessário. Me solidarizo com a dor dos familiares e amigos. Podem contar comigo para ajudar no que for preciso.”

Caso Marielle - O vereador Marcelo Siciliano (PHS) prestou depoimento da Delegacia de Homicídios na semana passada sobre o caso da morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. Intimado, Siciliano disse ter decidido ir à delegacia voluntariamente falar, também como testemunha. Ele tem reduto eleitoral na área da Gardênia Azul, em Jacarepaguá, também na Zona Oeste, uma região que é dominada por milícias. (via 247)

***
MILICIANO ACUSADO DE MATAR JOVENS EM MARICÁ AGIU SOZINHO, DIZ POLÍCIA

Policiais da Delegacia de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MPE do Rio prenderam João Paulo Firmino, Jefferson Moraes Ramos e Flávio Ferreira Martins acusados de participarem de uma milícia que age no município de Maricá-RJ.

A ação teve a finalidade de cumprir mandado de prisão temporária contra João Paulo Firmino, suspeito de ser o executor de cinco jovens, no dia 25 de março, no Condomínio Carlos Marighella, em Itaipuaçu.

O chefe operacional da Polícia Civil, delegado Gilberto Ribeiro disse que “a milícia é prioridade da polícia, como também o tráfico de drogas. A forma de atuação de um e de outro grupo é bastante semelhante. Queremos deixar muito claro que para a Polícia Civil hoje a prioridade é dar fim ou pelo menos combater de forma enérgica todo tido de crime organizado”forma enérgica todo tido de crime organizado”. (informações Agência Brasil)