24.4.18

CRIVELLA E SUA IGNOMIA

MIRSON MURAD -


Marcelo Crivella, eleito há mais de um ano para ser o prefeito carioca, mas já declarou não estar preparado para isso em entrevista (por que não renuncia?) hoje usou a expressão ignomia. Como não existe essa palavra no idioma português (provavelmente ele pretendia dizer ignomínia), criou-se assim uma nova palavra para "enriquecer" a língua portuguesa: ignomia. Vá aprender o idioma para não falar abobrinhas, Crivella.

O prefeito Crivella é um mentiroso contumaz, super ausente de suas obrigações governamentais ficando à deriva os destinos da cidade onde falta saúde, segurança, educação, transportes, calçamento nas ruas... Aliás, os transportes não estão sob o domínio absoluto do Barata que manda e desmanda e o prefeito e seu secretário e o sub-secretário dos transportes que não sejam bestas de meterem o nariz onde não foram chamados. A organização sob o comando maior do Barata elimina linhas de ônibus, muda seus roteiros, tira ônibus de circulação. Faz o que bem entende. "Quem pode pode, quem não pode se sacode".

Ignomia bem que poderá significar: embusteiro, mentiroso contumaz, prefeito ausente. Na realidade, Crivella tem feito muita coisa, por exemplo: nomeou seu filhote para secretário, nomeou um bandido fichado na polícia também para secretário e, recentemente, nomeou para comandar o órgão da prefeitura responsável por obras um engenheiro que responde a processo pela desastrosa, criminosa obra que já matou dois, ciclovia Tim Maia na Zona Sul carioca.

---
Leia também:

OS STATES E O GÁS TÓXICO CRIMINOSO; A PRESIDENTA DO SUPREMO