29.4.18

PRIVATIZAÇÕES, CRIMINOSAS AGRESSÕES AO POVO

Por PEDRO AUGUSTO PINHO -


Pediria ao meu caro leitor, afundado na propaganda neoliberal, que emergisse por instantes e pensasse: como surgiu e para que surgiu o Estado.

Se conseguisse pensar nas origens, a privatização seria ação primitiva e a estatização alguma coisa mais sofisticada, menos rude.

Mas vamos pensar no Estado como ente jurídico. Ele se forma como modo de proteção coletiva, para atender às necessidades dos cidadãos. Se uma parcela minoritária da população se apossa do Estado surge um desvirtuamento e, em consequência, a maioria da população tem o direito e o dever de reaver o Estado para todos.

Leia mais em OPINIÃO