12.4.18

QUE VERGONHA, SENADORA; INTERROGANDO GILMAR E LEWANDOWSKY

MIRSON MURAD -


Discursando no Senado, hoje, sobre a prisão do ex-presidente Lula, seu isolamento e as visitas de autoridades que foram barradas, a senadora Ana Amélia pronunciou tantas abobrinhas, melhor dizendo, tantas inverdades que suas palavras, fortemente tendenciosas, mesmo para uma pessoa pública, uma política, exigem uma reflexão aprofundada por parte de sua excelência. Se eu dissesse um terço dessas falsas afirmativas, após o calor de meu destempero, em plenário, isolaria-me por muitos dias até que a poeira baixasse, calaria envergonhado. Uma senhora de meia idade, eleita senadora pelo povo de seu estado - sinceramente - deveria ter pensar duas vezes antes de falar o que ela disse. A propósito, a política é membro do PP o partido político que mais abriga fichas sujas, políticos desmascarados pela Justiça.

INTERROGANDO GILMAR E LEWANDOWSKY

Os ministros do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowsky, mostraram-se veemente irritados, inconformados, com o absurdo, segundo eles, do ex-governador Sérgio Cabral Filho ser levado algemado de um presídio para outro. Gilmar chegou a dizer "como está o espírito dessa gente?". Excelências!, pergunto eu: Fernandinho Beira-Mar e o Nem podem ser algemados? Provavelmente os senhores responderão que sim pois eles são criminosos. E Cabral também não é? Eles afirmarão que os dois marginais roubaram muito. Mas Cabral roubou mito mais. Justificarão que ele são chefes supremos de fações perigosas mas Cabral também é. Portanto... Suas excelências dirão que Beira-Mar e Nem são assassinos. Contudo, Cabral matou muito mais e ainda continua matando, senhores ministros. Por sua culpa o povo fluminense não tem emprego, segurança, educação, saúde... falta tudo nesse Estado falido e o responsável maior é o criminoso-velhaco Sérgio Cabral Filho, ou não?