29.4.18

VIRA-LATAS CLONADOS DA FORÇA DE ASSALTO NAZISTA MOSTRARAM SUA FACE EM CURITIBA: UMA VEZ VIRA-LATA, SEMPRE VIRA-LATA [VÍDEO]

ANDRÉ MOREAU -


O ataque aos cidadãos do Acampamento Marisa Letícia/Lula Livre, em Curitiba, ocorreu no último dia 28, entre 2 e 3 da madrugada. Horário que, segundo agentes de segurança pública, é quando todos mergulham em sono profundo. É a hora em que, geralmente, os assaltantes de residências agem.

O veneno destilado pelos meios de comunicação conservadores, através de ocultações ou da narrativa discricionária que incitou principalmente a classe média a apoiar o golpe de estado - travestido de impeachment, sem mérito -, ao que tudo indica, poderá atingir a todos no dia 7 de outubro, da mesma forma que ocorreu nas eleições fraudadas em Honduras, com o uso das urnas eletrônicas de primeira geração, cedidas pelo governo ilegítimo do Brasil.

Cumpre ressaltar que havia sido determinado que as eleições deveriam ser realizadas prevendo a impressão de recibos para os eleitores, o que permitiria a recontagem dos votos, se necessário. Os ministros do Superior Tribunal Eleitoral (STE), no entanto, decidiram não acatar a determinação, alegando que o custo seria muito alto. Os parlamentares no Congresso Nacional, acataram tal retrocesso, sem qualquer contestação.

A ressaca dos crentes na "narrativa anti-corrupção" passou a dar maior dor de cabeça aos batedores de panelas a partir do assalto à Consolidação das Leis do Trabalho. Agora com o "pente fino" da Previdência Social, que deflagrou o chamamento de aposentados e pensionistas, para novas perícias - de forma extraordinária -, prevendo cancelar milhares de benefícios de idosos e deficientes, para "desonerar gastos" congelados por vinte anos, já que o "governo" não teve tempo de aprovar o desmonte da Previdência Social.

ATAQUE TERRORISTA EM CURITIBA


O resultado dessa guerra de classe que os candidatos ditos democratas preferem não tocar, é a soma da mentira repetida com a liberdade da extrema direita agir com base na narrativa "anti-corrupção". O ataque criminoso contra a Vereadora Marielle Franco, Anderson, a Caravana de Lula e o Acampamento Marisa Letícia/Lula Livre, em Curitiba, no qual - segundo testemunhas, foram disparados cerca de vinte tiros -, são os exemplos mais contundentes dessa fase de exceção.

Em tom de deboche os mais afoitos seguem cogitando a idéia de "virar a página" do golpe de estado, que pela lógica significa dar as costas aos trabalhadores demitidos que passaram para o estágio da miséria extrema e ao preso político Lula, visando garantir reeleições e privilégios.

O plano dos oligarcas que estão por trás desses ataques, é enfraquecer manifestações como o 1º de maio - Dia Internacional do Trabalhador, principalmente em Curitiba que, ao contrário da fantasia dos ditos líderes democratas que se manifestaram pelo desarmamento, pela paz mundial, enquanto os Estados Unidos invadia territórios da Síria e ameaçava com invasão militar a Venezuela, para pilhar suas riquezas naturais, é seguir como trator aumentando o grau de violência, o que indica o endurecimento da ditadura que vem se instalando em diferentes países da América Latina com total e irrestrito apoio do Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Enquanto não forem intensificadas as "boas lutas" com manifestações de massas, pela reparação dos direitos usurpados, Lula continuará preso na solitária.

Só com a força dos trabalhares organizados e dos membros de movimentos sociais, será possível unir as forças necessárias a partir do 1º de maio. Só assim será possível afirmar a posição dos trabalhadores na luta a ser desenvolvida contra tais ataques, antes que as prisões, torturas, sequestros e assassinatos de líderes populares e políticos se tornem uma realidade comum, banal, de acordo com a meta dos editores de textos e noticiários das máquinas de moer mentes.

Até a força de assalto tupiniquim que agiu em Curitiba, faltou originalidade: uma vez vira-lata, sempre vira-lata.

*André Moreau, é Professor, Jornalista, Cineasta, Coordenador-Geral da Pastoral de Inclusão dos "D" Eficientes nas Artes (Pastoral IDEA), Diretor do IDEA, Programa de TV transmitido pela Unitevê – Canal Universitário de Niterói e Coordenador da Chapa Villa-Lobos – ABI – Associação Brasileira de imprensa, arbitrariamente impedida de concorrer à direção nas eleições de 2016/2019.