9.5.18

1- VENEZUELA VIVE HOJE PARA O IMPERIALISMO O MESMO QUE CUBA HÁ 30 ANOS; 2- TESTEMUNHA ACUSA VEREADOR E MILICIANO DE ENVOLVIMENTO NA MORTE DE MARIELLE

REDAÇÃO -


A historiadora Anita Leocádia Prestes, filha de Luís Carlos Prestes e Olga Benário, avalia em uma entrevista concedida à TV 247 o atual momento político brasileiro e comenta a situação vivenciada também pela Venezuela, que sofre pressão dos Estados Unidos para que suspendam as eleições presidenciais do próximo dia 20. O governo norte-americano também ameaçou impor novas sanções contra os venezuelanos.

"A Venezuela desempenha hoje na América Latina para o imperialismo americano o papel que foi desempenhado por Cuba há 30, 40 anos. A campanha que é feita contra o governo da Venezuela e o povo venezuelano é muito parecida com a que era feita contra a Cuba socialista, contra Fidel Castro. Então os métodos se repetem", avalia.

Ela acredita também que "o governo Maduro vai sair vitorioso dessas eleições". "A manutenção desse caminho para o socialismo na Venezuela é fundamental para todos nós latino-americanos. Uma derrota dos setores populares terá repercussões muito lamentáveis para todos nós, inclusive brasileiros", diz.

Para Anita, "no momento que vivemos hoje, de um retrocesso muito grande", o maior legado de seus pais para o cenário político é a "defesa das liberdades democráticas, que correm grande risco, inclusive pelas atitudes que têm sido tomadas pela Justiça brasileira e pelo Supremo Tribunal Federal". Em 1936, o mesmo Supremo, alinhado com a diplomacia de Getúlio Vargas, negou um habeas corpus a Olga Benário e expulsou a comunista para a Alemanha nazista. (via Brasil247)

***
TESTEMUNHA ACUSA VEREADOR E MILICIANO DE ENVOLVIMENTO NA MORTE DE MARIELLE

Um homem que trabalhou para um dos mais violentos grupos paramilitares do Rio procurou a polícia para contar, em troca de proteção, que o vereador Marcello Siciliano (PHS) e Orlando Oliveira de Araújo – ex-PM preso acusado de chefiar uma milícia – queriam a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada com o motorista Anderson Gomes, no dia 14 de março, no Estácio.

Segundo informações do jornal O Globo, em três depoimentos, a testemunha relatou reuniões entre um miliciano, que hoje está preso em Bangu 9, e o político, sobre prejuízos causados pelo combate da vereadora ao avanço de grupos paramilitares em comunidades de Jacarepaguá.

Nos depoimentos, além do político e do chefe da milícia, também foram mencionados os nomes de outros integrantes do bando, que teriam participado da execução. (via Rio247)