5.7.18

CHEGA DE PALHAÇADA

WILSON DE CARVALHO -


“Mal exemplo desse garoto para os jovens e nossos filhos”. A frase se refere a Neymar e é, acreditem, do técnico Tita, na época, no comando do Corinthians. Aconteceu após o atacante cair depois de um choque com um adversário, simulando grave entrada aos gritos e a ridícula imagem de quem vai sair do campo para um hospital. Mas até o adversário ser expulso ou advertido, repetindo a sua condenada marca registrada, ou seja, levantando e entrando no jogo sem nenhuma dor.

“Após a expulsão do Emerson Sheik, ele saiu normalmente para o jogo”, concluiu, na época, o técnico da seleção brasileira em entrevista reproduzida terça (3), pela Rede TV. Tudo se repete nesta Copa do Mundo, provocando a ira, em especial, dos adversários dentro de campo. Com influência nos próprios árbitros, além das críticas de praticamente todos nós, amantes do futebol.

Neymar tem tudo para ser o melhor do mundo? Sim. Mas sem as palhaçadas. E chega de botar “panos quentes” no “cai-cai”, conforme faz o próprio técnico Tite e Ronaldo, chamado de fenômeno, pois só estão adiando a mudança de comportamento do jogador. O que falta para Neymar se tornar o melhor do mundo.

***
ACORDA, SOCIEDADE

Falhas em prestações de contas fazem partidos devolver R$ 44,6 milhões; TSE confirma fundo de R$ 1,7 bi para eleição e divulga cota de partidos; PT e MDB lideram; Regra do Fundo Eleitoral favorece dez dos 35 partidos; Recurso para candidatura feminina aumenta 140%, informou o UOL.

É a vergonha das verbas - pasmem – para 35 partidos políticos, a maioria de aluguel... E será que devolveram mesmo R$ 41 milhões de 2017? É o que canso de afirmar: sem reforma política, nada irá mudar. Ou até, quem sabe, a sociedade acordar do berço esplêndido...