21.7.18

O MOMENTO TAMBÉM É PROPÍCIO PARA SE CONHECER A VERDADE

MÁRIO AUGUSTO JAKOBSKIND -


Enquanto a direita que se apresenta como centro cerra fileiras em torno do candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, que tem  o apoio do PTB presidido por nada mais nada menos que Roberto Jefferson, outro partido, como o PDT confirma o nome de Ciro Gomes, que, segundo o noticiário, tentou fechar com o centrão, que acabou aderindo ao esquema tucano. É claro que a  tentativa  de Ciro na prática fez mal a ele mesmo, porque agora vai ter que provar muito fortemente qual é verdadeiramente o seu projeto. Serão necessárias muito mais do que palavras.

É preciso que fique claro de uma vez por todas, Alckmin na verdade representa a continuidade do projeto do lesa-pátria Michel Temer, cujo partido, o atual MDB, que arquivou o P inicial e por enquanto tem a pretensão de lançar o aposentado do Banco de Boston, Henrique Meirelles, que, segundo o Senador Roberto RequIão, também do MDB, seria apenas um disfarce para ajudar Alckmin a não ser acusado de ter apoiado o esquema colocado em prática pelo lesa-pátria Michel Temer, o presidente mais impopular do mundo.

Fica faltando um ainda pré-candidato,  o deputado e capitão da reserva, Jair Bolsonaro, que não passa de uma afronta ao Brasil. A última dessa figura que não esconde o seu extremismo de direita foi aparecer em um vídeo com uma criança de colo sendo ensinada a apontar com o dedo como se fosse um revólver. 

Bolsonaro, por sinal, não esconde seu amor por armas e como está tendo problemas para indicar um vice, já começa a admitir o nome de Janaina Pascoal, uma figura que ganhou notoriedade por ser uma das signatárias do processo inicial do golpe de 2016 que levou Temer a ocupar o governo brasileiro e levar adiante o projeto que fez o  país  andar para trás.

Não se mencionou Rodrigo Maia, que pelo visto, em função do apoio do DEM ao candidato Alckmin, desistiu de concorrer. Os continuadores da velha Arena, posteriormente PDS e hoje DEM, se sentiram mais seguros apoiando alguém do PSDB, revivendo também o velho esquema do então presidente FHC, que teve como vice Marco Maciel, que integrava o PDS, o partido que antecedeu o atual DEM. Isto é, tudo farinha do mesmo saco, capazes de fazer de tudo para levar adiante projeto pernicioso ao país.

Na verdade, tanto Alckmin como Bolsonaro e o próprio Maia se juntaram em 2016 para desencadear o  golpe que teve também o apoio do Departamento de Estado norte-americano. Ou alguém tem dúvidas a esse respeito? Se tiver, basta constatar a série de medidas adotadas por Temer, com o apoio incondicional do PSDB, e do DEM para facilitar a vida das empresas multinacionais, contempladas com a entrega das riquezas do pré-sal e outras que também fazem falta ao povo brasileiro. E até mesmo empresas estrangeiras na área petrolífera serem contempladas com isenção de impostos.

Geraldo Alckmin, que joga no mesmo time do príncipe dos sociólogos, que em seus dois mandatos fez o mesmo que Temer em termos de facilidades para empresas multinacionais, está ai mesmo, já tendo até se reunido com Temer para cuide de candidaturas.

Diga-se a bem da verdade que o atual golpista que ocupa a Presidência da República está completando em termos de entrega o que Fernando Henrique Cardoso não conseguiu.

É preciso que no decorrer da campanha eleitoral que está para começar que tal fato fique bastante claro, isso independente da mídia comercial que vai tentar esconder essa verdade, o que de alguma forma já fez  ao longo dos últimos meses.

É também por aí que se pode entender perfeitamente a prisão política de Luis Inácio Lula da Silva, que os golpistas fazem de tudo e muito mais para não só evitar a sua candidatura, como também para impedi-lo de falar.

É mais do que necessário que os candidatos comprometidos com o povo e com a defesa dos valores nacionais não se calem a respeito. Ou seja, não se pode de forma alguma esconder as verdades, para que a população brasileira seja de fato informada sobre o que está sucedendo atualmente.

A verdade sendo apresentada vai ajudar o eleitorado a tomar posição em defesa do Brasil. Por isso, desde já é preciso demonstrar que Geraldo Alckmin, Jair Bolsonaro, Henrique Meirelles e de quebra Rodrigo Maia são farinha do mesmo saco golpista e que têm responsabilidade  com o que esta ocorrendo agora no país.

E, alerta, pois todo cuidado é pouco, vale sempre repetir. A medida em que as verdades surgem, mais incomodadas ficarão os responsáveis pelo atual estado de coisas negativos ao extremo. Os golpistas são capazes até de impedir a realização das eleições inventando pretextos.  Mas o pior para eles é perderem a condução do governo e não conseguirem levar adiante a entrega de mão beijada do que resta das riquezas nacionais. Para evitar isso são capazes até de aprofundar o golpe.