19.8.18

1- AUTORIDADES LAMENTAM MORTE DE KOFI ANNAN, EX-SECRETÁRIO GERAL DA ONU; 2- “BRASIL SAIRÁ DA ‘ONU COMUNISTA’ SE EU FOR ELEITO”, DIZ CANDIDATO DO PSL

REDAÇÃO -

O presidente da República, Michel Temer, lamentou neste sábado (18) a morte do ex-secretário-geral das Nações Unidas e ganhador do Prêmio Nobel da Paz, Kofi Annan (foto). “Annan deixa exemplo maior de dedicação às causas da paz, do desenvolvimento e dos direitos humanos. Nossas condolências à família”, disse o presidente por meio do Twitter.


Nascido em Gana, Annan morreu durante esta madrugada em um hospital em Berna, na Suíça, aos 80 anos, segundo informou a fundação Kofi Annan nas redes sociais.

O Ministério das Relações Exteriores também se pronunciou e lembrou a trajetória do ex-secretário que foi lembrado como “um amigo do Brasil”. Para o Itamaraty Kofi Annan soube equilibrar os atributos de independência da ONU com o desafio de conciliar os interesses de seus estados membros. “O governo brasileiro deseja que seja sempre recordado o legado de Kofi Annan, um dos maiores defensores do multilateralismo, para que suas ações e seus ideais de paz, justiça e tolerância continuem a servir de inspiração para as gerações vindouras”, destacou a nota.

O ministro brasileiro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha, lembrou que Koffi Annan foi o primeiro negro a assumir o mais alto cargo da ONU. “Kofi Annan representa o que desejamos no Brasil e no mundo: que mais negros alcancem os espaços de poder, que haja representatividade dos grupos que enfrentam preconceitos e discriminações. O legado do ex-secretário da ONU é crucial para gerar transformações, a partir de ações de promoção da paz no mundo e do estabelecimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio – ODMs. É necessário uma ação global para a redução das desigualdades e melhora da qualidade de vida das pessoas”, disse.

O atual secretario-geral da ONU, Antônio Guterres, destacou que Annan era “uma força para o bem” e que seu legado vai continuar servindo de inspiração para todos. Guterres disse ainda que o ex-chefe da Onu se tornou um campeão global nos esforços para a paz de toda a humanidade. (via Agência Brasil)

***
“Brasil sairá da ‘ONU comunista’ se eu for eleito”

Via Folha:

O Brasil deixará a ONU (Organização das Nações Unidas), um antro “de comunistas”, caso Jair Bolsonaro seja vitorioso no pleito presidencial, prometeu o presidenciável do PSL. “Se eu for presidente, eu saio da ONU. Não serve para nada essa instituição”, disse Bolsonaro neste sábado (18), numa cerimônia de cadetes da Aman (Academia Militar das Agulhas Negras), em Resende (RJ).

“Saio fora, não serve para nada, é um local de reunião de comunistas e de gente que não tem o menor compromisso com a América do Sul”, disse após ser questionado pela Folha sobre a decisão favorável de um comitê da ONU pela candidatura do ex-presidente Lula.

O bom filho a casa torna: ali o capitão reformado Bolsonaro se formou, nos anos 1970, ele e também seu vice, o general Antonio Hamilton Mourão.
(…)