3.8.18

POR QUE AS PESSOAS MENTEM?

ISA COLLI -


Quem não lembra do filme ‘O Mentiroso’, estrelado pelo ator Jim Carrey, que conta a história do inescrupuloso advogado Fletcher Reede? Para quem não assistiu ou não lembra, o filme mostra que Fletcher ama o filho Max, mas a sua incapacidade de manter promessas e as mentiras compulsivas que conta causam problemas entre os dois e a ex-mulher Audrey. Cansado das mentiras do pai, Max faz um desejo antes de soprar as velinhas do seu bolo de aniversário: ele quer que o pai só diga a verdade nas próximas 24 horas. Quando o pedido de Max se torna realidade, o mundo de Fletcher começa a se transformar em um caos. O filme dá uma lição: os transtornos que as mentiras podem causar na vida de uma pessoa e dos que estão ao seu redor.

Não precisa ser psicóloga para saber que ninguém nasce sabendo mentir e na maioria dos casos de pessoas mentirosas, elas cresceram em um ambiente cercado de mentiras e muito adotaram este comportamento em suas vidas adultas. Além disso, criança que consegue manipular o adulto e tirar vantagens de pequenas mentiras tendem a se tornar adultos que acreditam ser necessário mentir para obter o que desejam.

Seja para se defender de alguma situação ou para obter ganhos, as pessoas aprendem a mentir ainda durante a infância. Por isso, é fundamental que os pais orientem os filhos sobre os problemas que a mentira pode causar e como é preferível optar pela sinceridade.

A mentira como proteção

A psicologia explica que as pessoas mentem porque esta é uma ação que funciona e, a partir daí, continuam mentindo para obter bons resultados. Ainda que a mentira traga perdas e seja sempre um risco, ela funciona como um mecanismo de proteção para evitar dor ou para obter alguma coisa.

Na maior parte das vezes, o hábito de mentir é um comportamento inconsciente, e algumas pessoas têm um vazio emocional tão grande que preferem correr o risco de serem descobertos do que ter que enfrentar a dor ou se sentir rejeitado.

Quando mentir vira doença?

Quando a pessoa mente compulsivamente, com o objetivo de se beneficiar ou prejudicar os outros, isso se chama mitomania. Quem sofre desse problema mente sempre e a respeito de todos os assuntos de sua vida, sem nunca demonstrar constrangimento quando suas mentiras são descobertas. O mitômano vai a extremos para sustentar suas mentiras, a ponto de ele mesmo acreditar em suas histórias.

Mentir é certo ou errado? Quem pode julgar?

Em alguns casos específicos, a mentira pode até ser aceita pela perspectiva da ética. Por exemplo: uma pessoa está fugindo de um assassino e eu a vejo se esconder. Quando questionada pelo criminoso, para protegê-la eu mentiria. Penso que em um caso como esse esse, a maioria das pessoas mentiria.

Aí enfrentamos o julgamento que atualmente se tornou um dos vícios de comportamento mais difíceis de lidar. As pessoas emitem julgamentos a todo instante, opinam e criticam, porém, o detalhe é que quase sempre levamos em consideração somente a nossa verdade, tendo em vista um único jeito de pensar e observar.

Perceba que esse modelo egoísta de ser, faz as pessoas sentirem-se donas da verdade onde todos à sua volta têm que concordar ou agir de acordo com seu ponto de vista.

E é exatamente aí que começa o problema. Quando você julga a partir da sua posição, considerando somente a sua perspectiva, corre o risco de fazer uma avaliação tendenciosa, sem transparência e com muitas chances de cometer injustiça. Toda vez que você age desta forma está desconsiderando a posição em que o outro se encontra, o contexto e até mesmo suas necessidades específicas.

Quando perguntar a opinião das pessoas sobre o caso do assassino, verá que cada uma delas emitirá uma opinião de acordo com a sua visão.

Cada um emitirá sua impressão a partir daquilo que vive e observa. Isso não quer dizer que não tenha razão, mas que deve sim considerar que o outro, estando em uma posição diferente, tem outra forma de ver e sentir o mesmo problema e por isso também deve ser respeitado.

Por que você não deve mentir

Mentir pode causar muitos problemas. Uma mentira pode destruir a reputação de uma pessoa inocente, separar bons amigos ou levar pessoas a tomar decisões desastrosas. O mentiroso pode perder a confiança das pessoas e ainda vir a ser castigado. Quem mente, deve pedir perdão e passar a falar a verdade.

Se você está vivendo uma situação de mentira ou uma ilusão, não deve se sentir mal. Deve apenas refletir e decidir se deseja se manter no mesmo caminho, se isso produz frutos positivos na sua vida cotidiana. Só você é capaz de saber e, se necessário, fazer as mudanças que precisa.

Há quem diga que errar é “humano”: eu penso que mentir é errar conscientemente. Que tal fazer essa reflexão?