10.9.18

1- BRASILEIROS NÃO CONSEGUEM EMPREGO EM PORTUGAL E RECORREM A PROGRAMA DE RETORNO; 2- BOULOS COMPARA ATAQUE A BOLSONARO À IMPUNIDADE NO CASO MARIELLE [VÍDEO]

REDAÇÃO -


Destino de sonho da nova onda de imigrantes, Portugal virou um pesadelo para 235 brasileiros. Eles formam um grupo de desiludidos por não terem conseguido emprego fixo e estabilidade no país. Sem dinheiro sequer para a passagem de volta ao Brasil, recorreram ao auxílio financeiro do programa de retorno voluntário Árvore, da Organização Internacional para as Imigrações (OIM). O número, registrado até julho, já superou todos os 232 pedidos de ajuda de 2017 feitos por brasileiros em situação considerada crítica em cidades portuguesas.

— As pessoas chegam iludidas com Portugal, não conseguem contrato de trabalho e não encontram o que buscavam. Às vezes, ficam menos de três anos no país, porque falta emprego estável e passam a viver de biscates. Sem renda proveniente do Brasil, encontram obstáculos financeiros para seu sustento. É uma onda de imigração que percebemos ser mista, que tem também pessoas que chegam sem planejamento adequado e ficam mais vulneráveis — explicou Bárbara Borrego, assistente de projeto na OIM.

Após entrevistas para a constatação da condição de extrema dificuldade, o candidato selecionado para o benefício do Árvore recebe, além da passagem aérea, ajuda de € 50 para despesas de viagem. Para ter acesso ao programa, é preciso comprovar falta de renda e apresentar um nada-consta criminal. Não pode haver pendência de documentação junto ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), e o processo pode levar de um a três meses. Quem retorna ao Brasil pelo Árvore fica impedido de entrar em Portugal por três anos.

Em casos de extrema necessidade, a OIM oferece € 2 mil para o recomeço no Brasil, para assistência médica, qualificação profissional ou a criação de um pequeno negócio. (…)
(via Globo)

***
Boulos compara ataque a Bolsonaro à impunidade no caso Marielle