15.9.18

1- CONQUISTAS DA CAMPANHA SALARIAL DOS BANCÁRIOS INJETARÃO R$ 10 BI NA ECONOMIA; 2- PRAZO DE 30 ANOS PARA RECLAMAR FGTS ATRASADO ACABA EM NOVEMBRO

REDAÇÃO -


O acordo salarial conquistado pelos bancários e bancárias no final de agosto, que garantiu à categoria um reajuste salarial de 5% – reposição integral da inflação e aumento real de 1,31% –, terá um impacto positivo de aproximadamente R$ 10 bilhões na economia brasileira até o final deste ano, segundo levantamento feito pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

Segundo a presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira, os ganhos são fundamentais para a retomada do crescimento, por garantir o poder de compra dos trabalhadores, o que, por sua vez, movimenta a economia.

"Quanto mais direito o trabalhador tem, quanto melhor o salário, mais a economia ganha", afirma Juvandia à repórter Michelle Gomes, do Seu Jornal, da TVT.

"Ao contrário do que alguns candidatos estão dizendo que para ter emprego não pode ter direitos e, isso é um absurdo, na verdade, é quando você tem emprego de qualidade com salário direito é que a economia ganha e gera mais empregos ainda", explica a presidenta.

Desde 2004, os bancários têm conquistado ganho real e, com o novo acordo, o aumento acumulado até 2019 será de cerca de 23% nos salários e 44,7% no piso da categoria. (fonte: CUT)

***
PRAZO DE 30 ANOS PARA RECLAMAR FGTS ATRASADO ACABA EM NOVEMBRO

Por isso, o Sindicato alerta aos companheiros que verifiquem seus extratos o quanto antes. Se houver atrasos de depósito superiores a cinco anos, é preciso correr para garantir que a Justiça leve em consideração todo o período da dívida.

É possível acompanhar os depósitos pelo aplicativo FGTS, disponibilizado pela Caixa.

Um exemplo é o caso dos trabalhadores da Feva, de Cotia, o Sindicato entrou na Justiça para reclamar os 12 anos de atraso nos depósitos de FGTS. Se a denúncia dos trabalhadores tivesse ocorrido a partir de novembro, isso não seria mais possível. Situação semelhante enfrentam os trabalhadores da ADI.

Tudo isso porque em 2014, a maioria dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) acompanhou o voto de Gilmar Mendes, que derrubou o prazo de 30 anos para reclamações. A decisão foi de que o prazo seria de 5 anos, o mesmo dado a outras reclamações trabalhistas. (fonte:  Força Sindical)