17.9.18

BENDITA FACADA!

EMANUEL CANCELLA -


Para quem prometia fuzilar 30 mil brasileiros, entre eles FHC, que além de torturado por Bolsonaro seria fuzilado, uma facada é lucro.

Na verdade, sem a facada dificilmente Bolsonaro estaria líder da corrida eleitoral. Os marqueteiros de Bolsonaro, com certeza, consideram a facada o maior trunfo eleitoral.

Os brasileiros, eleitores de Bolsonaro, perdem a continuidade dos discursos inflamados , que dentre os temas (3):

"Eu fui num quilombola em Eldorado Paulista. Olha, o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano é gastado com eles" (Em palestra no Clube Hebraica, abril de 2017).

“Fica aí, Maria do Rosário, fica. Há poucos dias, tu me chamou de estuprador, no Salão Verde, e eu falei que não ia estuprar você porque você não merece. Fica aqui pra ouvir. (Em discurso na Câmara, em 2003). Ao explicar a frase: "Ela não merece (ser estuprada) porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia, não faz meu gênero, jamais a estupraria. Eu não sou estuprador, mas se fosse, não iria estuprar porque não merece”.

"O filho começa a ficar assim meio gayzinho, leva um coro ele muda o comportamento dele. Tá certo?

“Ô Preta, eu não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco porque meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambientes como lamentavelmente é o teu” (À Preta Gil, quando questionado sobre o que faria se seu filho se apaixonasse por uma negra.

“Eu sou favorável à tortura, tu sabe disso” (A um programa de TV, em 1999). E “O erro da ditadura foi torturar e não matar” (Em entrevista no rádio, em junho de 2016).

“Não vou combater nem discriminar, mas, se eu vir dois homens se beijando na rua, vou bater” (Em entrevista sobre uma foto do ex-presidente FHC ter posado em foto com a bandeira gay e defendido a união civil, em maio de 2002).

“Deveriam ter sido fuzilados uns 30 mil corrutos, a começar pelo presidente Fernando Henrique Cardoso” (Em programa de TV, em maio de 1999).

“90% desses meninos adotados vão ser homossexuais e vão ser garotos de programa com toda certeza desse casal” (Em vídeo reproduzido no programa de Danilo Gentily, sobre adoção por casais gays).

“Não é questão de gênero. Tem que botar quem dê conta do recado. Se botar as mulheres vou ter que indicar quantos afrodescendentes” (Em entrevista em Pouso Alegre, questionado se aumentaria o número de mulheres no ministério, em março de 2018).

No ato antes da facada, no norte do Brasil, disse Bolsonaro: “Vamos fuzilar a petralhada aqui do Acre”. (2)

Mas quem está danado com essa história de hospital é o vice de Bolsonaro, o general Mourão: 'Esse troço já deu o que tinha que dar', diz vice de Bolsonaro sobre 'vitimização' após atentado contra o candidato’ (1)

Bolsonaro, com seu discurso racista, homofóbico e misógino, conquistou a Globo e até pastores protestantes, como Silas Malafaia.

Mas, mesmo dentro da igreja evangélica, Bolsonaro está longe de ser uma unanimidade: Pastor da Igreja Batista de Niterói detona Bolsonaro e demais pregadores do fascismo! Veja o vídeo (4).

A maior violência dessa campanha não é a facada em Bolsonaro e a prisão de Lula sem nenhuma prova, num claro intuito de impedir sua candidatura e  vitória!  (5)

Na verdade, Bolsonaro calado e numa maca de hospital é líder da corrida à presidência. Pela vontade dos marqueteiros de Bolsonaro, ele só sai do hospital para subir à rampa do Palácio do Planalto. Resta saber se combinaram isso com os eleitores brasileiros!

Fonte: