6.9.18

JUSTIÇA ELEITORAL GOLPISTA PUNE INOCENTE, MAS PERMITE CORRUPTOS, LADRÕES DE MERENDA, ASSASSINOS E TRAFICANTES!

EMANUEL CANCELLA -


Os advogados do campo popular buscam brechas legais para viabilizar seus candidatos. É a busca do que pode e do que não pode. Primeira constatação é de que candidato tucano pode tudo, pois eles contam com a solidariedade total da justiça golpista: podem traficar, mandar matar, desviar dinheiro de merenda, se locupletar etc.

E na “Justiça” em caso de emergência, como o do HC do desembargador Rogério Favreto, dia 8/7, em defesa de Lula, entra em cena a força tarefa dos togados e dos sem toga também (3). Moro segurou o HC de férias em Portugal e da praia. O ministro do golpista, Temer, Raul Jungmann, anunciou que o HC não valia e a Polícia Federal mandou às favas a máxima de que decisão judicial não se discute, cumpre-se (4,5)!

Essa força tarefa atua somente em se tratado de Lula e Fernando Haddad. Aliás, Haddad, em oito dias como candidato já foi citado duas vezes pelo MP de São Paulo. O PT chamou a ação do MP contra Haddad de “Boca-de-Urna” (2).

Para mostrar eficácia da justiça contra o PT e a favor dos tucanos, temos a ação contra Haddad e, simultaneamente, Gilmar Mendes soltando mais um tucano, agora foi o envolvido no escândalo do Rodanel, Laurence Casagrande, que foi secretário do governador tucano, Geraldo Alkmin (1).

Também com a complacência da justiça, Aécio Neves, em gravação amplamente divulgada, pediu ao dono da JBS dois milhões em propina e disse que mataria quem o delatasse (5). Aécio Neves, recordista em delação na Lava Jato, continua livre, senador da República e candidato, e, como deboche, ainda cobra de Lula arrependimento (6).

Aécio Neves, como se não bastasse está envolvido também no escândalo do helicoca, o helicóptero com 450 kg de cocaína (7).

Aproveitando a brecha legal da justiça eleitoral que permitiu a Aécio Neves dizer que matava quem o delatasse e mesmo assim sair impune, o candidato Jair Bolsonaro, em 02/09/18, avisa em comício: “vamos fuzilar petistas” (9). Bolsonaro já havia dito que mataria 30 mil brasileiros, inclusive o ex- presidente, FHC (8). Isso foi em 1989, e Bolsonaro dizia que Lula era honesto.

Aliás, o desvio de dinheiro de merenda não aconteceu só no estado de São Paulo, governado por Geraldo Alckmin, no Rio de Janeiro na prefeitura governada por Cesar Maia houve desvio de dinheiro da merenda envolvendo o Secretário Municipal de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação, Índio da Costa  que também foi candidato a vice presidente na chapa de José Serra.

No Rio teve até uma CPI, como em São Paulo, mas não deu em nada. Assim como Geraldo Alckmim é candidato a presidência, Índio da Costa é candidato a governador do Rio de janeiro pelo PSD (10 a 13). Desviar dinheiro de merenda das crianças pode! Segundo a justiça eleitoral golpista!

Para impedir que os candidatos incorram em erros, a justiça eleitoral deveria fazer uma cartilha, por exemplo: candidato tucano pode ser corrupto, ladrão de merenda, assassino e traficante, frisando que isso só vale para tucano e seus aliados. Outra informação, importante, tucano e bolsonarista podem até matar.

Com relação a Lula: ‘Esse homem não pode ser candidato; se candidato não pode ser eleito; se eleito não deve tomar posse; se tomar posse não deve governar’.

Fonte: