13.9.18

POR QUE LEGALIZAR A MACONHA? [VÍDEO]

ANDRÉ BARROS -


Faltando apenas quatro domingos para a eleição, no dia 7 de outubro de 2018, aproveito para convidar todas e todos para assistirem ao meu programa eleitoral, toda terça-feira, às 21 horas, na página

Neste 11 de setembro de 2018, tratamos do objetivo mais importante de se legalizar da maconha: reduzir a violência.

Analisamos as condutas de plantar, comprar, vender, associar e financiar. Abordamos a necessidade de se legalizar a venda da maconha nas favelas como medida de segurança pública, reparação social e, principalmente, para reduzir a violência, invertendo essa política racista de Estado, onde a criminalização da maconha faz parte da histórica perseguição aos negros. Trata-se de um debate essencial para se opor a todas essas mortes diárias em razão da repressão somente contra o varejo das favelas. É preciso dizer, ainda mais especificamente em relação à venda nas favelas: quem é contra a legalização da maconha é a favor do tráfico de drogas.

O crime mais grave da Lei de Drogas é o previsto no artigo 36, que é financiar o tráfico de drogas. Mas dos poucos julgados, os existentes na realidade não são de lavagem de dinheiro. Você por acaso conhece alguma agência bancária investigada por lavar o dinheiro do tráfico? Grande parte, desses bilhões do Produto Interno Bruto da Maconha que circulam anualmente no Rio de Janeiro, é lavada no sistema financeiro.

Peço que assistam e compartilhem esse programa. Nossa campanha está florindo e vamos plantar uma floresta apertando 50 do Sol e 420 da Planta. E, depois, não esquece, confirma, e aperta de novo, o verde. Não tenha vergonha, não tenha vergonha, vamos lutar pela legalização da maconha, ANDRÉ BARROS para DEPUTADO ESTADUAL é 50420.

---
#PraCegoVer: fotografia de uma bandeira preta enorme com o desenho da folha da maconha em cor dourada e escrito em branco “Legalização Já”, hasteada pelos manifestantes durante a Marcha da Maconha de São Paulo, em 2017. Créditos: Lucas Tavares – Smoke Buddies.

*André Barros é advogado da Marcha da Maconha, candidato a Deputado Estadual pelo PSOL do Rio de Janeiro, com o número 50420, colaborador do site TRIBUNA DA IMPRENSA SINDICAL, vice-presidente licenciado da Comissão de Direitos Humanos da OAB-RJ, membro do Instituto dos Advogados Brasileiros e 3º suplente de Deputado Estadual pelo PSOL do Rio de Janeiro.