4.12.18

1- ONYX REAFIRMA DIVISÃO DA PASTA DO TRABALHO NO GOVERNO BOLSONARO E MINISTÉRIO CRITICA A MUDANÇA; 2- PHA: A CBF NÃO É ESTATAL NEM O BRASILEIRÃO É BOLSONÁRIO [VÍDEO]

REDAÇÃO -

Onyx Lorenzoni confirma em entrevista coletiva que Trabalho perderá status de ministério no governo Bolsonaro (Foto: Governo de transição, Rafael Carvalho).
O futuro ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, reafirmou na tarde desta segunda-feira (3) que o atual Ministério do Trabalho será extinto no governo de Jair Bolsonaro e que as atribuições da pasta serão divididas entre três ministérios:
  • Justiça e Segurança Pública (Sérgio Moro)
  • Economia (Paulo Guedes)
  • Cidadania (Osmar Terra)
O anúncio da perda do status de ministério e do fatiamento das atribuições da pasta gerou protestos por parte da atual gestão. Em nota oficial divulgada nesta segunda-feira, o Ministério do Trabalho criticou a decisão e disse que a mudança “atenta” contra a Constituição (leia a íntegra do comunicado ao final desta reportagem).

Mais cedo, em uma entrevista à Rádio Gaúcha, Onyx já havia anunciado que Bolsonaro decidiu tirar o status de ministério do Trabalho e fatiá-lo entre três pastas. À tarde, em uma entrevista coletiva na qual informou que o desenho final da gestão Bolsonaro tem 22 ministérios, ele confirmou que o Trabalho deixará o primeiro escalão.

A possível extinção do Trabalho como ministério teve várias idas e vindas. No início de novembro, após vencer a disputa presidencial, Bolsonaro anunciou pela primeira vez que pretendia tirar o status de ministério do Trabalho.

A repercussão negativa levou o presidente eleito a mudar de ideia e anunciar, em 13 de novembro, que havia voltado atrás.

No entanto, ao concluir neste final de semana o esboço da nova Esplanada dos Ministérios, ele decretou que as funções do Trabalho seriam distribuídas entre três pastas. (…)
(via G1 Brasília)

***
A CBF NÃO É ESTATAL NEM O BRASILEIRÃO É BOLSONÁRIO
(Via Conversa Afiada)