12.12.18

MORO E BOLSONARO, JÁ ESTÃO DISCORDANDO

HELIO FERNANDES -


Na entrevista coletiva na televisão, abandonando a magistratura e começando a carreira política pelo alto, bem pelo alto (contradizendo sua afirmação repetida, "jamais farei carreira política"), deixou claras as possibilidades de divergências, choques e contradições entre eles. E concluiu, praticamente abdicando dos seus poderes e obrigações: "Eu sei que dependo e sou subordinado a quem me nomeou".

O momento chegou bem antes do esperado, o futuro ministro da Justiça já brigou consigo mesmo tomou duas posições contraditórias sobre o mesmo assunto, desagradando o presidente eleito, muito antes dele enfrentar a realidade do presidente no Planalto.

A antecipação da divergência, culpa total do próprio Bolsonaro que errou demasiadamente, não acertou uma, a começar  pela estranha, esdrúxula e extravagante equipe, com a qual ninguém governa. E insistiu nos atos contra a ética e a estética, e a moral (IMORAL) que dominam toda a sua vida, pessoal, política, particular. E que se transformaram no assunto quase único, de televisões, jornais, editoriais, críticas de todos os colunistas com independência e opinião.

Trata-se da exploração e do exagero de abusar das nomeações de funcionários para quatro gabinetes parlamentares.

Esses funcionários nomeados "contribuíam" com uma parte do salário para os titulares. Bolsonaro sabia de tudo, pois essa pratica que durou anos  e anos, também era praticada no seu gabinete de deputado de 7 mandatos. Quando os fatos explodiram, o presidente eleito veio a publico, com uma explicação, que não convenceu a ele mesmo.

Tanto que confessou: "Se errei, acerto tudo com a Receita". A confissão do crime, (pois é de um crime grave e continuado que se trata) não arquiva o processo, nem impede a punição.

PS- Moro aparece participando do espetáculo, entra no palco, com duas exibições.

PS2- Respondendo a jornalistas sobre o que faria, respondeu, "nada, o presidente já esclareceu e liquidou a questão".

PS3- O próprio Moro não estava convencido do que disse, mudou: “Vou prestigiar a Coaf, tem prestado grandes serviços ao pais".

PS4- Bolsonaro não gostou, só poderia DESCONVIDAR Moro, seria um escândalo. Vai esperar, a questão tem vida longa.

PS5- Não impede a posse, mas já compromete o governo. Desde o inicio, como se esperava.

MEIRELLES NO PODER ESTADUAL

Esperava um cargo importante no governo Bolsonaro. Foi surpreendido com a fusão de todas as pastas que poderia ocupar. Fez saber que aceitaria ser presidente do BNDES. Lembrou que presidiu um dos bancos mais importantes dos EUA (Boston) por mais de 20 anos. Não foi ouvido.

Constatando que o governador de SP está formando sua equipe com nomes nacionais que serviram ao presidente corrupto e usurpador, se movimentou, foi ouvido e convidado. Ocupará cargo importante no setor financeiro.

PS- Foi 8 anos presidente do BC, com Lula.

PS2- Acabado o mandato, presidiu o Conselho Administrativo da empresa dos maiores bandidos do pais, os irmãos Batista, da  JBS.

PS3- Lá conheceu Temer. E foi ministro da Fazenda, depois da conspiração parlamentar.

OS CRIMES DE JOÃO DE DEUS, E O COLAPSO DO TURISMO NA CIDADE, SEM O TURISMO DO MÉDIUM

É um fato cada mais assustador, que vai crescendo de forma impressionante. De 10 ou 20 casos de abuso sexual, em poucos dias de denuncias e investigação, passaram a mais de 200. As mulheres que já foram ouvidas, contam coisas tão escabrosas, deprimentes, que a vontade é pedir a  prisão perpetua para ele, já que sou intransigentemente contra a pena de morte, seja qual for o crime.

E o caso vai assumindo características inacreditáveis. Os moradores da cidade, convencidos que a cidade não resiste sem o turismo do João de Deus criminoso, fazem apelos desesperados. Pedem ás próprias vitimas, que não façam carga contra o médium. Inacreditável, mas rigorosamente verdadeiro.

PS- E a policia da cidade e o MP, atuam com extrema cautela.

PS2- Estão horrorizados, mas não querem ser acusados de enterrar a cidade, com  seus milhares de moradores.

CRIME NA CATEDRAL DE CAMPINAS

Com o templo lotado, um homem entra, mata 6 pessoas e se suicida. A policia da cidade diz que não ha explicação. Ele usava um revolver simples. Sem repetição.

Se usasse arma de rajada, teria sido uma catástrofe.