16.12.18

PELO DIREITO DO POVO EXPRESSAR QUE O STF É UMA VERGONHA!

EMANUEL CANCELLA -

Dilma presidenta disse preferir barulho da imprensa a silêncio da ditadura (14).


O fato de o ministro Ricardo Lewandowski ter chamado a Polícia Federal para o advogado que disse que o STF é uma vergonha causa perplexidade na sociedade (5). Os ministros do STF são muito bem pagos com dinheiro público, quem paga não tem o direito de cobrar, criticar?

A ministra Rosa Weber também notificou a então ex-presidenta Dilma, depois do impeachment, para explicar a palavra “golpe” (1). Depois, de tão ridícula a convocação, a ministra Weber cancelou.

Aliás, nada ficou provado contra Dilma. E em grande parte do Brasil e no resto do mundo repercute que Dilma foi vítima de um golpe. E o STF, com sua omissão criminosa, referendou esse golpe.

E Dilma continua sendo perseguida pela Justiça, principalmente pelo juiz Sergio Moro. Não podemos esquecer que, na véspera, a 6 dias da eleição de 2018, Moro pessoalmente vazou delação premiada de Antônio Palocci, mesmo esta já sendo recusada pelo MPF por falta de provas. Essa delação fazia sérias acusações a Lula  e Dilma e, por falta de provas, foi recusada.

Carlos Fernando Lima, procurador da Lava Jato, já deu declarações à imprensa, afirmando que a delação de Antônio Palocci, na opinião do Ministério Público, não é válida, por falta de provas” (6)

Dilma, segundo as pesquisas de intenção de votos tinha uma cadeira garantida como representante ao Senado por Minas Gerais e a cada pesquisa a liderança de Dilma ampliava (7). Lamentavelmente, o vazamento da delação por Moro, na véspera da eleição, derrotou Dilma.

E Moro, segundo a jornalista Mônica Bergamo, ainda quer intimar Dilma por conta da delação premiada de Palocci (4). Se isso não é perseguição, é o quê?

E respondendo aos ataques injustos que recebeu da imprensa, Congresso nacional da justiça: Dilma presidenta disse preferir barulho da imprensa a silêncio da ditadura. (14)

Moro, que chefiava a Lava Jato, prendeu Lula sem provas, só por convicção, e em segunda instância, em total desrespeito à Constituição Federal, que proíbe prisão em segunda instância. Pasmem! Com aval do STF, que é o guardião da Constituição (8,11)!

Mesmo tratamento não recebe o senador tucano Aécio Neves por parte de Moro, já que Aécio é recordista em delação na Lava Jato e continua livre. E,  como deboche, ainda cobra arrependimento de Lula (2).

E com Aécio não é só convicção, pois este é autor de uma gravação onde pede dois milhões em propina ao dono da JBS e diz que mata quem o delatar (3).

Esta semana a sociedade brasileira assistiu a espetáculos que depõem ainda mais contra nossa Justiça: no dia 10, a Lava Jato prendeu o prefeito em exercício de Niterói, Rodrigo Neves, através só de delação premiada, ou seja, sem provas (11).

No dia 11, a PF e o Ministério Público fizeram uma operação de busca em imóveis residenciais contra parlamentares no Rio, entre eles Aécio Neves. A PF pedia a prisão de Aécio e o ministro do STF, Marco Aurélio Mello, e a PGR, Raquel Dodge, impediram a prisão de Aécio (13).

Entretanto, com a omissão da PGR e do STF o prefeito em exercício de Niterói, Rodrigo Neves, do PDT continua preso, sem provas.

Outro trágico espetáculo a que assistimos: os ministros do STF fecharem com Michel Temer acordo em torno dos 16% de reajuste, abrindo assim mão do imoral ilegal auxílio-moradia (9). Nenhum trabalhador recebeu isso de reajuste. E os ministros do STF recebem o teto dos salários dos funcionários públicos.

No dia seguinte, juízes e procuradores já entraram em campanha por um novo auxílio-moradia (10). Para um país em crise, onde muitos estão desempregados e funcionários públicos ficaram sem receber salários, chega-se à conclusão que o mínimo que se pode dizer dessas atitudes dos ministros do STF é que a Suprema Corte é uma vergonha!

Fonte: