28.12.18

POESIA: EU E ELA

MARCELO MÁRIO DE MELO -


Eu trato dela
como uma criança no ventre
uma velhinha subindo a escadaria
um cego atravessando a rua
um mendigo faminto
um pássaro ferido
um cavalo selvagem
um touro na arena
uma amante fogosa
um bailarina
uma carga pesada
uma pedra preciosa
uma muralha
um abismo
um mapa de viagem
uma senha secreta
um filme antigo
uma canção nova
uma pesquisa arqueológica
uma restauração de arte
um exercício de futurologia
um pesadelo
um sonho cor de rosa
uma muda de roupa
um relógio
um colar
uma medalha no peito
um anel de compromisso
uma semente na mão
uma agulha
um bisturi
um brinde.

Com sapatos mágicos
ando nas suas espirais
caderno e caneta na mão
tentando compor o corpo
dessa coisa múltipla
mutante
coceira
fogo
chama incessante
que se chama
poesia militante.